Adolescente alega que atirou no cobrador apenas para assustar o motorista

Da redação, AJN1

 

Apreendido sob a acusação de executar o cobrador de ônibus David Jonathan Barbosa, 26, o adolescente de 17 anos disse à polícia que atirou na vítima para amedrontar o motorista, que demorou a parar e abrir a porta do veículo para que ele e os dois comparsas fugissem após praticar o assalto. “Mandei ele parar, mas o motorista não quis parar. Ia ficar longe para a gente voltar armado. Ai o galego falou, atire para ele abrir a porta.  Ai eu atirei. O tiro era só para assustar”, disse o acusado, que revelou a polícia que os outros dois envolvidos são maiores de idade.

 

Sem demonstrar arrependimento, o adolescente revelou que após o crime seguiu para casa, tomou banho e foi se esconder na residência de uma tia, no Parque São José, onde pretendia passar a noite juntamente com a companheira. Na versão dele, a intensão era apenas roubar os passageiros e a renda do ônibus. Ele alegou ainda que só tomou conhecimento que havia matado o cobrador ao chegar na casa da mãe. “Ia passar a noite na casa da minha tia e depois ia me entregar com o advogado da minha mãe”, disse o acusado.

 

Com o escudo de um clube sergipano tatuado no peito, o que indica uma possível ligação com torcidas organizadas, o adolescente chegou a ser apreendido recentemente, acusado de depredar um veículo da Polícia Civil no Jardim Centenário. No entanto, por ser um ato considerado de menor potencial ofensivo, acabou sendo colocado em liberdade.

 

Apreensão

 

Ainda na tarde de ontem (13), após a execução do cobrador no bairro Jardim Centenário, equipes das polícias Civil e Militar passaram a realizar buscas pela área na tentativa de prender os três envolvidos no crime. Depois de analisar as imagens das câmeras de segurança do ônibus da Atalaia e das informações repassadas pela empresa, sobre o cartão de vale transporte utilizado para pagar a passagem, os policiais chegaram até o adolescente.

 

Ao ser abordado, o acusado não ofereceu resistência e, além de contar detalhes do crime, delatou os dois comparsas, que ainda estão foragidos. O adolescente foi autuado em flagrante por ato infracional equivalente a latrocínio e será encaminhado inicialmente à Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip), onde deve permanecer por 45 dias. Depois, caso seja sancionado com a medida socioeducativa de internação, será transferido para o Centro de Atendimento ao Menor (Cenam), onde deve permanecer por um período de até três anos.