ARACAJU/SE, 22 de abril de 2024 , 16:46:56

logoajn1

Complexo de Operações Especiais prende quadrilha chefiada por ex-militar

Da redação, AJN1

 

Uma denúncia anônima levou a equipe do Complexo de Operações Especiais (Cope) a desarticular uma quadrilha que vinha praticando assaltos e tinha como base a região Centro Sul de Sergipe. A operação aconteceu nesta quinta-feira (19) em Salgado e resultou nas prisões do ex-policial militar José Welton de Assis, o "Boy", – que é apontado como líder do bando -; Carlos Daniel Santos de Santana, Maycon Douglas do Nascimento Santos e Jorge Luiz Santos Lima, o “Cego”, – que saíram do presídio no dia 11 de abril – e Gustavo Alves de Lima.

 

O coordenador do 2º Núcleo de Investigações do Cope, delegado Nélio Bicalho, explicou que Maycon, Carlos Daniel e Jorge Luiz estiveram recolhidos no mesmo presídio até o mês de abril e ao ganharem a liberdade, se aliaram a Gustavo e passaram a integrar a quadrilha chefiada pelo ex-policial militar.  A partir daí o grupo passou a praticar assaltos a residências e estabelecimentos comerciais. Um fato que chamou a atenção é que nas ações criminosas, os acusados utilizavam o veículo Corola do ex-militar para auxiliar na fuga.

 

“Em Salgado, por exemplo, eles roubaram a farmácia e fugiram em uma motocicleta, mas logo depois entraram no Corola para fugir da cidade”, disse o delegado, acrescentando que esta informação foi repassada a polícia através do Disque Denúncia (181) e a partir daí a equipe do 2º Núcleo do Cope passou a realizar buscas na região de Salgado. Ao interceptar o Corola, os policiais encontraram o dinheiro roubado da farmácia e um revólver calibre 38.

 

“O ex-PM ainda apresentou uma carteira de identidade e uma CNH falsificados, mas confrontado pelos fatos entregou toda a trama e confessou que realizou dezenas de assaltos nos últimos meses”, ressaltou Nélio Bicalho. José Welton foi expulso da Polícia Militar e estava em liberdade desde o dia 19 de junho de 2015. Ele tem condenação em vários processos por tráfico de drogas, roubo e porte ilegal de arma de fogo. Já Carlos Daniel responde a processos por homicídio, roubo, porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas; enquanto Maycon responde por tráfico, roubo, furto e porte de armas. Agora os acusados foram autuados em flagrante por roubo majorado e associação criminosa.

Você pode querer ler também