Criança vítima de estupro coletivo em São Cristóvão está recebendo ameaças

Da redação, AJN1

 

A menina de 11 anos que foi vítima de um estupro coletivo no último dia 13, em São Cristóvão, está recebendo ligações anônimas com ameaças, depois que o caso veio à tona. A informação foi confirmada hoje (30), pela Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), após desfecho da operação "Olhos de Hórus", que prendeu, no início da manhã, um homem de 19 anos e a apreendeu cinco adolescentes com idades entre 16 e 17, envolvidos diretamente no abuso.

 

“A menina está sendo ameaçada e sua rotina mudou completamente, já que ela não sai mais de casa e vive trancafiada, com medo, e não vai mais à escola”, revelou o delegado Ronaldo Marinho.

 

A diretora do DAGV, Mariana Diniz informou que a criança foi inserida na Rede de Atendimento de Proteção, além de já ter sido encaminhada para a maternidade Nossa Senhora de Lourdes para os cuidados médicos.

 

“É um crime tão degradante, que tira toda a inocência da criança. Ela está tendo acompanhamento psicológico, a família está do lado dela também”, destacou Mariana.

 

O crime

 

O crime aconteceu em um dos loteamentos do município de São Cristóvão. Enquanto era abusada por um dos acusados, os outros envolvidos filmaram o ato e ameaçaram postar o vídeo em redes sociais, caso ela não transasse com eles.

 

Por medo da família e da repercussão que o vídeo iria provocar na cidade, a criança acabou cedendo e passou a ser abusada por cinco adolescentes. A mãe da garota revelou que ela ficou em poder dos acusados por mais de duas horas.

 

A vítima foi encontrada pela mãe, suja de sangue e com lesões pelo corpo.