ARACAJU/SE, 19 de maio de 2024 , 1:54:16

logoajn1

Governo investiga quem facilitou entrada de revólver no presídio de Glória

Da redação, AJN1

 

O governador em exercício, Belivaldo Chagas, reuniu-se nesta segunda-feira (24) com a cúpula de segurança pública para avaliar as ações e descobrir as possíveis falhas que resultaram numa das maiores fugas em massa da história policial de Sergipe, ocorrida na última sexta-feira (21), no Presídio Regional Senador Leite Neto (Preslen), no município de Nossa Senhora da Glória. Ocasião em que dois agentes penitenciários se feriram e um foi morto a tiros.

Até o momento, um detento foi capturado, outro se entregou à polícia porque estava com ferimentos e outros 18 ainda não foram detidos. Entre os foragidos estão dois pistoleiros que participaram da emboscada ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, desembargador Luiz Mendonça, e um detento conhecido por Nado, que atuou na chamada Operação Valkiria, na cidade de Itabaiana, este último investigado por patrocinar e arquitetar todo o esquema de fuga.

A principal questão, segundo o secretário de Estado da Comunicação, Sales Neto, é descobrir quem foi a pessoa que facilitou a entrada de um revólver utilizado pelos detentos durante a fuga, já que a arma de fogo contribuiu para render os agentes e balaear, consequentemente, o agente Antônio Nascimento Nogueira, que veio a óbito.

“O problema que houve em Glória não foi ocasionado por superpopulação. A arma não nasce em árvore. O Governo está debruçado para descobrir como uma arma foi encontrada lá dentro e vai parar nas mãos de elementos de alta periculosidade. A pessoa que possibilitou a entrada da arma é tão assassina quanto a que puxou o gatilho. Os próprios detentos reconhecem que o agente morto era gente do bem. O Governo não vai descansar enquanto não botar as mãos nas pessoas que facilitaram”, disse Sales.

Força Nacional

O secretário de Comunicação disse também que, semanas antes das fugas, o Estado havia solicitado ajuda da Força Nacional, do Ministério da Justiça.

“A Força Nacional já havia sido solicitada semana passada. Não foi chamada apenas pelo ocorrido na sexta. Pedimos o apoio das Forças para nos auxiliar no sistema prisional. É uma forma que o Governo encontrou para tentar solucionar alguns problemas que se desenvolveram com agreve de algumas categorias”, explicou Sales, ao afirmar que os soldados federais podem chegar ainda esta semana.

Condições de trabalho e concurso

Sales disse ainda que, durante a reunião, o governador Belivaldo Chagas também discutiu as melhorias das condições de trabalho dos agentes, além da possibilidade de se realizar um concurso público para novos agentes, já que há um déficit no quadro dos agentes atualmente.

“Conversamos sobre as reivindicações dos agentes, que são justas. O Governo está com dificuldades, mas aquilo que for possível fazer o Governo fará. Outro pleito justo é o concurso público para agentes penitenciário, que servirá para as unidades do novo presídio em Areia Branca. O contingente atual não está funcionando corretamente. A PGE está analisando a possibilidade de concurso para que seja feito dentro da legalidade”, revelou.

O Governo, de acordo com Sales, já estuda a compra de novos equipamentos de proteção individual. “Enquanto negociamos essas questões, o Estado precisa garantir que não haja problemas maiores”. 

 

Foto: ASN

Você pode querer ler também