ARACAJU/SE, 22 de maio de 2024 , 10:38:15

logoajn1

PM prende ‘Adrianinho’ após perseguição pelas ruas do bairro Santa Maria

A Polícia Militar (PM) prendeu na manhã de domingo, 04, no bairro Santa Maria, zona Sul da capital, Adriano Gonzaga Santos, 28, vulgo Adriano Mago ou Adrianinho, um dos bandidos de maior periculosidade e que estava foragido da Justiça de Sergipe.

 

A polícia chegou até Adrianinho após receber denúncia de populares através do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP), informando que o bandido estava em uma comunidade localizada aos fundos de uma agência do BANESE situada no bairro Santa Maria.

 

Equipes da PM foram deslocadas até o local para verificar a veracidade da denúncia. Ao perceber a chegada da polícia, Adrianinho empreendeu fuga e chegou a invadir uma loja de ferragens na rua principal do bairro. Sem saída e prestes a ser detido, o infrator escalou o muro dos fundos do estabelecimento que, na tentativa de continuar a fuga frenética, saltou e acabou se machucando.

 

Neste momento os policiais conseguiram deter Adrianinho e o levaram ao Hospital Governador João Alves Filho (HGJAF) para tratar de uma fratura exposta no tornozelo ocorrida após a queda.

Com Adrianinho foi apreendido um revólver calibre 38, com o qual a PM assegura que ele realizou vários disparos contra os militares enquanto corria em fuga pelas ruas do bairro Santa Maria.

Como havia muitos transeuntes na região por conta  a feira livre que acontece na região aos domingos, os PMs agiram com cautela durante a perseguição. Com essa importante prisão, a Polícia Militar retira de circulação um homem perigoso, foragido da Justiça e acusado de uma longa lista de graves crimes, dentre os quais figuram vários homicídios e tráfico de drogas.

Adriano Mago vinha sendo procurado por toda a segurança pública de Sergipe, desde que fugiu da carceragem do Complexo de Operações Policiais Especiais (COPE) em 14 de novembro de 2014.

 

Agressão

 

De acordo com o advogado de Adrianinho, Murilo Portugal, a esposa dele alega que ao visitá-lo no HGJAF constatou que o mesmo possuía marcas de agressão, e denuncia que os ferimentos teriam sido provocados pelos policiais durante a operação de busca. Um boletim de ocorrência das supostas agressões foi registrado por ela.

 

Você pode querer ler também