ARACAJU/SE, 24 de maio de 2024 , 6:55:09

logoajn1

Polícia realiza transferência de Adrianinho para complexo penitenciário 

Da redação, AJN1

 

Adriano Gonzaga dos Santos, o Adrianinho, já está sob a custódia do sistema penitenciário sergipano. Ele foi transferido no final da tarde desta segunda-feira (5), após ser submetido a exames no Instituto Médico Legal.

Adrianinho zarpou do Cope há quase um ano, e era considerado um dos foragidos mais perigosos do Estado. Ele responde por dezenas de homicídios, tráfico de drogas, e é taxado pela polícia como líder de uma facção criminosa que agia no bairro Santa Maria.

Segundo o tenente da Polícia Militar, Alexandre Freitas, uma ligação anônima acionou a polícia, denunciando que Adrianinho estava no bairro, perto da agência do Banese.

“Pelos trajes que a pessoa passou, montamos uma pequena operação. Mandamos duas viaturas pela frente do Banese. Ao avistar nossa guarnição, Adrianinho empreendeu fuga, havendo ainda troca de tiros. Ele adentrou numa feira aberta, mas por azar dele, no final da feira tinha um muro de três metros de altura. Ao se deparar com a guarnição, ele atirou novamente e nós atiramos também, naturalmente. Aí ele tentou pular o muro e, na queda, fraturou o tornozelo direito. Chamamos o Samu e o conduzimos ao hospital João Alves”, narra o tenente.

O diretor do complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), delegado Jonathas Evangelista, explicita que drianinho, como é conhecido, é apontado como líder de uma das organizações criminosas do bairro Santa Maria voltada para o tráfico de drogas e armas. As investigações permitiram deduzir que Adriano foi o responsável pelo cometimento de alguns homicídios, objetivando a tomada de poder e territorial sobre o tráfico de drogas na localidade. Essas provas foram repassadas ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoas (DHPP) para apurar com detalhe cada um deles.

Como exemplo da lista de crimes, as investigações levaram à autoria de um homicídio ocorrido em abril deste ano, quando uma mulher de 38 anos, conhecida como preta do bar, saía de um bar, no bairro Santa Maria, após beber com amigas.

Os alvos mais ligados a Adrianinho eram Junior; Jonathas Oliveira, vulgo 'Kelo'; o sobrinho dele, Victor Felipe Gonzaga; o taxista André Costa; Givaldo Alves, vulgo 'Carmelo'; e Bruno Santos Andrade, vulgo 'Feiao'.

Na disputa pela hegemonia do tráfico, inicialmente os principais rivais eram Anderson Neres, conhecido como 'Satanás' e Marcio faustino, vulgo 'Louco'. Depois passou a ser Alexandre do Suvaco da gata. Hoje todos estão presos.
 

Você pode querer ler também