Sergipe perde João Alves Filho, um grande homem público, que muito contribuiu para o desenvolvimento do estado. Saiba mais

Polícia sem pistas de executores de mulher em Areia Branca

 

Da redação, AJN1

A equipe de investigações da Delegacia de Areia Branca ainda não dispõe de pistas da autoria do assassinato de Juciane de Souza Alves, 25, que foi morta a tiros quando estava esperando o ônibus na varanda de uma casa no povoado Guidinha. O crime aconteceu no início da manhã desta segunda-feira (8) e o criminoso teria fugido levando o aparelho celular da vítima. Os familiares acreditam que a mulher foi vítima de um latrocínio – roubo seguido de morte. No entanto, os policiais não descartam nenhuma possibilidade para motivação do assassinato.

Informações passadas por familiares à polícia indicam que Juciane estava esperando o ônibus para ir trabalhar, quando foi abordada por desconhecidos e morta com cinco tiros na cabeça. Eles não souberam revelar quantas pessoas participaram do crime. Dos pertences da vítima, os desconhecidos levaram apenas o aparelho celular. Segundo os familiares, Juciane não possuía inimigos e era uma pessoa benquista na localidade onde morava.

Balanço

Nas últimas 24 horas, além do assassinato de de Juciane, foram registradas no Instituto Médico Legal (IML) Dr. Augusto Leite, em Aracaju, outras quatro mortes violentas. No loteamento Santa Cecília, em Nossa Senhora do Socorro, José Francisco Ramos dos Santos, 37, foi morto a tiros. Em Itabaiana, José Isídio Brito, 81, foi vítima de acidente no trânsito, enquanto Rafael Santos Reis, 26, que se acidentou na cidade baiana de Fátima, morreu nas dependências do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Já Maria Saturnina Melo Santos, 88, morreu vítima de queda da própria altura.