ARACAJU/SE, 24 de abril de 2024 , 19:04:06

logoajn1

Polícia voltou a relaxar, diz presidente do Sinttra

Da redação, AJN1

 

Ontem (29), a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) divulgou um balanço informando que, de 1º a 28 de julho, houve redução de 68,72% no número de assaltos a ônibus do transporte coletivo da capital e da Grande Aracaju, principalmente após a morte do cobrador de ônibus David Jonathan Barbosa, durante um assalto no último dia 13 de julho.

 

Mas há controvérsias nos dados da SSP, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Aracaju (Sinttra), Francisco de Assis.

 

Para ele, alguns dias depois da morte do cobrador, as forças de segurança até que conseguiram frear a ação dos criminosos, mas o monitoramento diminuiu, trazendo os rotineiros assaltos que, de janeiro até a última quarta-feira (27), foram contabilizados 1.158 roubos. Em 2015, foram 1.201.

 

“Logo em seguida da morte do nosso colega cobrador, os assaltos a ônibus diminuíram. Quatro dias depois da morte dele, aconteceram cinco assaltos, em números ascendentes Desde a última segunda-feira (25), os assaltos voltaram com tudo. A polícia intensificou as ações, mas, relaxou de novo e o medo voltou”, destaca Assis.

 

Para tentar interceptar os assaltos, Assis conta que já solicitou uma reunião de emergência com o secretário de Segurança, João Batista.  Hoje, há assaltos a qualquer hora e em qualquer lugar, disse ele.

 

Argumento

 

A SSP sustenta o argumento de que houve redução de roubos a ônibus, e isso, segundo o comandante do Policiamento Militar da Capital (CPMC), tenente-coronel Vivaldy, se deve ao reforço no patrulhamento ostensivo, com ações intensivas de abordagens a ônibus, que vêm sendo desenvolvidas desde o início do ano.

 

Ainda conforme o comandante, de janeiro a julho deste ano, a exceção dos meses de maio e junho, houve uma queda no número de assaltos ao transporte coletivo, contabilizando 171 casos em janeiro, 144 em fevereiro, 131 em março, 104 em abril. Nos meses de maio e junho, houve aumento: foram 117 no mês de maio e 195 em junho.

 

O aumento nos meses de maio e julho, de acordo com Vivaldy, é atribuído ao período de festividades juninas, quando a quantidade de pessoas utilizando o transporte coletivo aumenta, o que acaba facilitando a ação desses infratores.
 

Você pode querer ler também