ARACAJU/SE, 21 de maio de 2024 , 7:57:15

logoajn1

Quarteto associado ao tráfico e explosões a agências bancárias é desarticulado

A Polícia Civil apresentou na manhã desta sexta-feira (2), um quarteto associado ao tráfico de drogas e explosões a agências bancárias no interior do Estado.

Foram presos Emanuel Alves Maia, 36 anos, Aduilson Gois Oliveira, 32, Hugo Passos de Oliveira, 22 e Moisés José de Almeida, 45, nos municípios de Lagarto, Itabaiana e Ribeirópolis.

A prisão da quadrilha foi fruto de uma denúncia anônima, que apontava Aduilson como traficante de drogas com ramificações em diversos municípios sergipanos. As investigações culminaram na prisão do quarteto no interior de Sergipe e na confissão de um dos envolvidos sobre a participação na explosão da agência bancária do Banese, na cidade de Frei Paulo, no dia 20 de agosto.

De acordo com o delegado Jonathas Evangelista, Aduilson e os demais transportaram para Sergipe 336kg de maconha prensada que foram encontrados na casa de Emanuel na quinta-feira.

“Da associação, ele era o dono de toda a droga comercializada, entorpecente que chegava de caminhão até a cidade de Salvador, capital baiana. Emanuel e Hugo eram os responsáveis pelo armazenamento, sendo que Hugo também participava da distribuição dentro do estado de Sergipe”, explica o delegado.

Emanuel foi preso armazenando mais de 300 kg de maconha no povoado Brasília, em Lagarto, e indicou onde seriam encontrados os comparsas. Além disto, confessou a participação na explosão dos cashs em Frei Paulo há cerca de dois meses.

Junto com Moisés, responsável pelo armazenamento do material bélico do grupo e preso na zona rural de Ribeirópolis, foram encontrados 700g de crack; um fuzil AR15; uma metralhadora MT12; uma pistola glock 9mm, com silenciador, munições de diversos calibres, balança, luvas e balaclava.

“O acusado Moisés é o principal foragido daquele Estado em situações de roubos e explosões em agências bancárias. Há o indicativo de que ele tenha participado inclusive em diversos Estados do nordeste com o crime desta natureza. Com exceção do suspeito Hugo, todos têm passagem pela Polícia”, finalizou o delegado Jonathas Evangelista.

Você pode querer ler também