ARACAJU/SE, 20 de abril de 2024 , 7:41:25

logoajn1

Secretário de Justiça confirma morte de detento durante rebelião em presídio

Agência Jornal de Notícias

Joângelo Custódio

 

O secretário de Estado da Justiça (Sejuc), Antônio Hora, confirmou a morte de um detento e ferimento de outro preso durante rebelião ocorrida no início da manhã desta segunda-feira (9), no Presídio Regional Juiz Manoel Barbosa de Souza (Premabas), localizado na cidade de Tobias Barreto, região Centro-Sul de Sergipe. Segundo o gestor, o motim foi ocasionado por insatisfação dos presos quanto à superlotação na unidade prisional. O IML foi acionado e a morte do preso, que levou um tiro na cabeça, será investigada. 

 

Antônio Hora explica que a rebelião se iniciou no pavilhão 1, com a ajuda de 38 presos, e foi se estendendo aos demais pavilhões chegando até a cozinha, onde atearam fogo. Com a chegada da Polícia Militar, os presos retornaram às áreas de segurança.

 

“Nós tivemos que retirar os guardas prisionais do local, porque, no momento da rebelião, por questões de segurança, retiramos da área os guardas que estavam dominados pelos detentos e nós reforçamos as guaritas. Houve tentativa de fuga em massa pela muralha e os nossos agentes tiveram de tomar atitudes enérgicas para evitar que alguns se evadissem. Depois dessa ação, os presos entregaram, na portaria, o corpo de um preso que veio a óbito. Já chamamos o IML e vamos averiguar o que aconteceu com o preso. Há um ferido também”, esclarece o gestor.

 

Fragilidade

 

Embora a unidade seja de segurança máxima, para presos que já têm sentença judicial, a segurança é falha, como admite o secretário.

 

“A segurança é falha não apenas em Sergipe, mas em todos os presídios do Brasil. Estamos trabalhando com compras de equipamentos para evitar que objetos entrem Estamos com superpopulação de 120 presos. No momento da rebelião, as guaritas estavam acionadas e impedimos com a força do Desip e dos guardas prisionais, conter essa tentativa de fuga”.

 

Superlotação

 

Para Antônio Hora, o problema de superlotação nos presídios não se trata de um caso isolado do estado de Sergipe. “Infelizmente, em todo o país os presídios têm sofrido problemas com a superpopulação carcerária. Porém, a Sejuc esclarece que o governo de Sergipe tem trabalhado para amenizar o problema e trazer mais segurança para o Sistema Prisional sergipano, através de investimentos na instalação de novos equipamentos de Raio-X, além da possibilidade da compra de um aparelho Body Scan, para evitar a entrada de objetos ilícitos”.

 

Você pode querer ler também