ARACAJU/SE, 29 de fevereiro de 2024 , 14:50:30

logoajn1

Suspeito de envolvimento na morte de Policial Civil se entrega

 

Da redação, AJN1

Suspeito de envolvimento no latrocínio que vitimou o policial civil Paulo Sergio Souza de Jesus, 61, José Lucas Menezes de Carvalho, o “Lucas Perverso”, 18, se entregou na noite desta terça-feira (6) na sede da Delegacia de Roubos e Furtos (Derof), no centro de Aracaju. Ele estava com prisão temporária decretada pelo juízo da Barra dos Coqueiros e foi encaminhado para sede do Complexo de Operação Policiais Especiais (Cope), onde foi interrogado pelos delegados Maíra Moinhos e Dernival Eloi.

Horas antes do acusado se apresentar à polícia, outro envolvido no crime morreu em uma troca de tiros. O confronto aconteceu em um dos povoados da cidade de Pedrinhas. William Santos Gomes, o “William Zika”, 18, teria reagido a abordagem policial e acabou baleado. Ele chegou a ser encaminhado com vida até a unidade de saúde em Boquim, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito depois de receber atendimento médico.

De acordo com uma fonte ligada a Secretaria de Segurança Pública (SSP), outras três pessoas, suspeitas de ligação na execução do policial civil, estão com as prisões decretadas pela justiça, dentre elas uma identificada apenas por “Pablo Zika”. Informações sobre o andamento das investigações não estão sendo divulgadas para não atrapalhar o andamento do caso.

Na manhã de hoje (7), familiares de William Gomes, que morreu em confronto com a polícia, alegaram que existem três pen drives, que estariam em locais desconhecidos, contendo informações sobre o crime. “Uma mulher ligou de um número inibido, dizendo que William disse que se os três pen drives fossem encontrados iria se apresentar, pois aliviariam o seu lado na morte de Paulinho”, revelou Márcia Maria da Conceição, acrescentando que infelizmente o filho morreu antes. A mulher contou ainda que a última vez que tinha visto William tinha sido no domingo (4), quando ele saiu de casa por volta das 10 horas, mas não disse para onde iria.

Relembre o caso

O policial civil Paulo Sérgio foi encontrado morto com requinte de crueldade, depois que o veículo da 3ª Delegacia Metropolitana, que estava acautelado a ele, foi localizado pela equipe do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM), abandonado no loteamento Itacanema, no Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro. O carro estava com as portas abertas e nele estava uma bolsa com um travesseiro sujo de sangue e uma faca.

Como havia um documento do policial no veículo, a Polícia Civil foi acionada e quando a equipe do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) esteve no endereço dele, constando a ocorrência do assassinato. A vítima foi encontrada amordaçada e com os pés e mãos amarrados. Paulo Sérgio foi espancado com um banco de madeira e atingido com vários golpes de faca. Do imóvel foram levados armas, eletroeletrônicos e outros objetos.

Você pode querer ler também