Sergipe perde João Alves Filho, um grande homem público, que muito contribuiu para o desenvolvimento do estado. Saiba mais

Suspeitos de praticar estelionato contra idosas são presos em Aracaju

Na noite da última quinta-feira, 24, em uma operação conjunta entre o Departamento de Inteligência da Polícia Civil (Dipol), o Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV) e a 1ª Delegacia Metropolitana (1º DM), teve como resultado a prisão de Franscisco Hélio Caxile, 44 anos, cearense, e Saulo Silva Barbosa, 34 anos, natural de Campina Grande, na Paraíba. A dupla que foi presa na Orla de Atalaia, zona Sul da capital sergipana, é acusada de cometer o golpe da loteria em diversas senhoras de idade em Aracaju. Com os suspeitos foram encontrados cédulas de 50 e 100 reais frutos do crime.

A investigação apontou que os suspeitos cometerem o crime em pelo menos 10 mulheres em Aracaju. A dupla costumava abordar senhoras entre 65 e 70 anos de idade e realizar o golpe da loteria. Os acusados vieram a Aracaju três vezes neste ano para cometer o estelionato. Nos meses de junho, julho e agosto a dupla agiu da mesma forma e sempre visando ludibriar e tirar dinheiro de senhoras de idade.

O Golpe

De acordo com informações do delegado Everton Santos, responsável pela prisão dos suspeitos, a dupla agia simulando que um dos homens, Saulo Barbosa, usando uma premiação falsa, afirmava que tinha ganhado na loteria, porém o mesmo não sabia como retirar o prêmio e pedia ajuda para uma vítima. Em um segundo momento, chegava o segundo suspeito, Franscisco Hélio, este, apresentava-se como médico, instruído e a fim de ajudar o homem a retirar o dinheiro do sorteio.

“Para conseguir tirar o dinheiro das vítimas, Saulo Barbosa oferecia a venda do bilhete premiado por um valor menor que o prêmio. Para justificar a sua generosidade, Saulo Barbosa argumenta que é analfabeto e não está com documentos, o que dificultaria a retirada do dinheiro, então o mesmo prefere ficar apenas com o dinheiro da vítima. A vítima, acreditando que irá sair ganhando da negociação, retira o dinheiro da sua conta bancária e deixa com o golpista. Os golpistas se despedem da vítima e vão embora com o seu dinheiro”, explica o delegado.

Prisões e crimes em outros estados

Ainda de acordo com o delegado Everton Santos, a dupla agia em diversos estados do país, inclusive com passagem pelo sistema prisional também por estelionato. Estados como Minas Gerais e Alagoas eram frequentemente usados pelos suspeitos para praticar o golpe. O delegado acredita que mais senhoras de idade tenham sido vítimas dos acusados, por isso, pede que as pessoas compareçam na 1ªDM, onde os suspeitos estão presos, para reconhecê-los.

A delegacia fica na rua Oscar Valois Galvão, 1, no bairro Grageru, em Aracaju.