ARACAJU/SE, 15 de julho de 2024 , 0:03:53

logoajn1

Delegada Daniela Garcia fala sobre prisões ligadas à associação Ala Jovem

 

Por Ivo Jeremias, AJN1

 

A delegada do Departamento Especializado em Crimes Contra a Ordem Tributária e a Administração Pública (Deotap),Daniela Garcia, falou à Rede Jornal de Comunicação na manhã desta quinta-feira(30) sobre os depoimentos dos presos ontem (29), ligados ao caso de suspeitas de desvios das verbas de subvenção social da Assembleia Legislativa de Sergipe.  De acordo com a delegada, eles estão dispostos a contribuir com o trabalho da polícia. 

 

 

“Eles especificaram como funcionava o esquema, indicaram participações de seis deputados com mandato, e também de dois ex-deputados. O esquema foi desbaratado. Nós estamos encaminhado os documentos para procuradoria de justiça, que deve ter o apoio do Tribunal de justiça devido ao volume de informações”. 

 

Prisões 

 

Na manhã desta quarta-feira (29) a Polícia Civil prendeu o ex-deputado Raimundo Vieira, o ‘Mundinho da Comase’ e mais duas pessoas. Uma delas é um professor da rede municipal, identificado como Augifranco Patrick de Vasconcelos. A outra pessoa é o irmão do professor, identificado como Ygor Henrique Batista de Vasconcelos. Os dois últimos integravam um esquema ligado à associação Ala Jovem de Lagarto, que de acordo com a delegada Daniela Garcia, repassava parte das verbas de subvenção social para o ex-deputado.

 

Esquema 

 

A delegada Garcia explicou à rede jornal como funcionava o esquema da Ala Jovem e falou sobre os próximos passos da investigação. 
 

 

“O Augifranco era o presidente da Alajovem e o Ygor era presidente de uma empresa, a MP10. Os deputados simulavam contratos com a empresa, que devolveria uma parte do dinheiro para os deputados. A Ala jovem ficava com 30% do valor para emitir as notas e promover eventos, mas 70% do dinheiro retornava para os deputados. As associações foram criadas para receber dinheiro e devolver para os deputados. Estamos na terceira etapa do caso , vamos entrar na quarta e investigar mais associações. Agora vamos providenciar as oitivas relacionadas às outras associações que enviavam dinheiro para o Augifranco, se elas quiserem colaborar estamos à disposição”, disse a delegada. 

 

Foto: ASN

Você pode querer ler também