ARACAJU/SE, 17 de abril de 2024 , 0:37:45

logoajn1

Eduardo Amorim diz que Dilma não respeitou as leis

Da redação, AJN1

 

Por volta das 19h30 desta quarta-feira (11) histórica, o senador Eduardo Amorim (PSC) subiu à tribuna para discursar e defender seu voto de apoio ao processo de admissibilidade do impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

 

Amorim foi o 21º congressista a se pronunciar. Em seu discurso, ele voltou a afirmar que a saída do governo petista será a saída do povo brasileiro.

 

"Este impeachment só está ocorrendo porque a presidente não soube respeitar a Constituição e as leis. Não soube respeitar os demais poderes. Não soube respeitar, sobretudo, o povo brasileiro. Os crimes de responsabilidade praticados trouxeram as piores consequências para o país e para o povo. Quase 12 milhões de brasileiros perderam seus postos de trabalho e estão sem perspectiva de encontrar uma nova colocação. Respeito ao suor do seu trabalho. Respeito a cada centavo de tributo pago. Respeito à coisa pública. Espero que os brasileiros possam recolher os ensinamentos deste triste período de nossa história”, destacou Amorim.

 

A sessão para votar a instauração do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff começou às 10h desta quarta-feira (11). A primeira da lista foi a senadora Ana Amélia (PP-RS) e o último é o senador Benedito de Lira (PP-AL). Cada senador terá 15 minutos para seu discurso. A sessão está dividida em três blocos: de 9h às 12h; das 13h às 18h; e das 19h até o termino da votação.

 

Antônio Carlos Valadares (PSB) será o 47º a discursar. Já Maria do Carmo (DEM) fecha a sequência da bancada sergipana e será a senadora de número 51 a se pronunciar antes da histórica votação.

 

Você pode querer ler também