ARACAJU/SE, 1 de março de 2024 , 17:19:52

logoajn1

Laércio votou favorável à denúncia contra Temer

 

Da redação, AJN1

O deputado federal Laércio Oliveira (SD-SE), foi o único sergipano a participar na tarde desta quinta-feira (13), da votação na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), a qual rejeitou, por 40 votos a 25 e uma abstenção, o relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) que recomendava a autorização da Câmara dos Deputados para que o Supremo Tribunal Federal (STF) investigue a denúncia de corrupção passiva contra o presidente da República, Michel Temer. Ao todo, 66 parlamentares participaram da votação.

Laércio, relator da reforma trabalhista na Câmara, votou para manter o parecer de Sergio Zveiter, favorável a denúncia. Conforme jornalistas que acompanharam a votação, o resultado já era esperado, porque o governo vinha costurando articulações para substituir deputados que ameaçavam votar contra o Planalto. Nessa movimentação à meia luz, partidos governistas defenestraram deputados favoráveis ao parecer e colocaram como titulares aliados fiéis de Temer.

Em nota, o deputado sergipano disse que participou da votação seguindo sua consciência. “Votei a favor do parecer que recomendava a continuidade da denúncia contra o presidente Michel Temer. No entanto, alguns colegas e veículos de imprensa têm me imputado erroneamente a pecha de ‘traidor’ do governo. Esse rótulo não me cabe porque nunca garanti ou divulguei qual seria meu voto após a leitura do relatório na comissão, justamente porque queria analisar com isenção os detalhes do parecer elaborado pelo relator Sérgio Zveiter”.

Laércio Foi enfático ao afirmar que nem o governo e nem o seu partido, o Solidariedade, o pressionaram a votar desta ou daquela forma. “Dando-me total liberdade para decidir de acordo com minhas convicções. Portanto, afirmações de que eu votaria necessariamente contra a admissibilidade da denúncia eram tentativas fantasiosas de adivinhar meus pensamentos”.

Manobra

Se não fosse a manobra orquestrada por Temer, o Planalto perderia por 32 votos a 30. O deputado Zveiter, inclusive, chegou a afirmar, em plenário, que Michel Temer teria usado dinheiro público nessas manobras, na tentativa de salvar seu mandato.

Temer é acusado pela Procuradoria-Geral da República de corrupção passiva no caso da JBS. O processo só recai nas costas do mandatário se a Câmara dos Deputados aceitar a continuidade da denúncia.

Como fica

Um novo relator será designado para apresentar um parecer pela não autorização ao STF para investigar Temer. Este parecer será encaminhado para votação pelo Plenário da Câmara.

 

Você pode querer ler também