ARACAJU/SE, 19 de julho de 2024 , 11:40:07

logoajn1

Lula volta a atacar Campos Neto: “adversário político e ideológico”

 

Na toada de críticas ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta sexta-feira (21), que o chefe da autoridade monetária é seu adversário político, ideológico e do modelo de governança da sua gestão. Disse que, quando puder trocar o titular da instituição, no fim do ano, o Brasil voltará “à normalidade”.

“Ele (Campos Neto) foi indicado pelo governo anterior e faz questão de demonstrar que não está preocupado com nossa governança, mas com quem ele se comprometeu. Estamos chegando ao momento de trocar o presidente do Banco Central. Vamos ter que tirar ele, indicar outras pessoas. E acho que as coisas vão voltar à normalidade porque o Brasil é país de muita confiabilidade”, disse Lula em entrevista à rádio “Mirante News”, do Maranhão.

Lula tem quatro indicados no Banco Central. Só conseguirá obter maioria das cadeiras em 2025, quando Campos Neto e outros dois diretores terminam o mandato. Ou seja, a partir de janeiro, o Banco Central será controlado pelo Palácio do Planalto. Uma situação parecida se deu durante o segundo mandato de Dilma Rousseff (PT).

O presidente disse que o “nervosismo especulativo” do mercado financeiro não mexerá com “a seriedade da economia brasileira”.

Lula voltou a errar ao citar os dados de volume de crédito dos cinco maiores bancos do país. Disse que a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil têm uma carteira de crédito maior que os outros três maiores bancos privados juntos.

“Caixa e Banco do Brasil nesse período em que estamos conversando aqui, os dois sozinhos, têm mais carteira de crédito do que os três maiores bancos privados juntos, porque os bancos não querem emprestar dinheiro, querem especular, ganhar com a taxa de juros”, disse.

A Caixa tinha R$ 1,144 trilhão em carteira em março de 2024, último dado disponível. Já o Banco do Brasil tinha uma carteira de crédito de R$ 1,138 trilhão. Ambos somam R$ 2,282 trilhões em crédito.

O Bradesco (R$ 889,9 bilhões), o Itaú (R$ 1,185 trilhão) e o Santander Brasil (R$ 654 bilhões) totalizam R$ 2,729 trilhões. Os dados constam nos balanços financeiros dos bancos.

Lula já tinha feito a comparação entre os bancos em outra entrevista, concedida na manhã desta sexta-feira (21) à rádio “Meio”, do Piauí.

Fonte: Poder360

 

Você pode querer ler também