ARACAJU/SE, 13 de abril de 2024 , 19:01:48

logoajn1

Maioria dos deputados federais de SE votou a favor do impeachment

Da redação, Joângelo Custódio

 

A bancada sergipana na Câmara dos Deputados foi a penúltima a votar durante a sessão plenária que aprovou o prosseguimento do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) na noite desse domingo (17) histórico.

 

Quando foram chamados, o impedimento da presidente já havia se consolidado. Mesmo assim, seguindo a liturgia da sessão, todos os oito deputados de Sergipe votaram. Desses, seis optaram pelo impeachment de Dilma e dois contra.

 

Adelson Barreto (PR) foi o primeiro, por ordem alfabética. Na tribuna, utilizando-se de seu linguajar confuso e rebuscado, foi o voto número 356 favorável à cassação. “Em sintonia e harmonia com o povo de Aracaju, de Sergipe, meu estimado e amado estado, em sintonia com a maioria do povo brasileiro, na esperança de que o país possa progredir, nós votamos sim”.

 

O líder do PSC na Câmara, André Moura, um dos articulistas no processo de impedimento da presidente e um dos braços direito tanto do presidente da Casa, Eduardo Cunha, quanto do vice-presidente da República, Michel Temer, foi o segundo a declarar-se a favor da derrubada de Dilma e acumular o 357º voto.

 

“Quero dizer o quão orgulhoso sou em liderar uma bancada tão valorosa como a do PSC. Nenhum povo é realmente grande senão pela liberdade que tem ou conquista. Nesse momento histórico, nós somos o povo brasileiro, nós somos a Pátria. Pelo Brasil e meu amado Sergipe, de um grande homem e mestre da filosofia e direito que é Tobias Barreto, eu voto sim pelo impeachment”, clamou ele.

 

Fábio Mitidieri (PSD) foi chamado na sequência por Cunha. Na tribuna, destacou que é preciso obedecer a vontade das urnas e da democracia. “Quiseram o destino e o povo de Sergipe que eu estivesse hoje aqui vivendo esse momento. Eu não sou ladrão, não sou corrupto, não sou vendido e não sou nem sequer PT. Eu também amo a minha família e o povo sergipano, e a democracia nos ensina a respeitar as posições divergentes. E exercendo essa democracia em consideração ao estado democrático de direto e a vontade das urnas que voto não”, finalizou ele, computando o voto 133º contra o impedimento.

 

O mais esperado entre os congressistas sergipanos foi Fábio Reis (PMDB). Havia uma grande expectativa em seu posicionamento, já que estava, até então, indeciso porque, de um lado, Jackson Barreto (PMDB), governador de Sergipe, puxava sua orelha e orientava a votar contra o afastamento da presidente, ora recebendo ofertas balofas do vice-presidente Temer para seguir a orientação dele e decepar Dilma. Curto e sem delongas, na tribuna, limitou-se a dizer que “Voto Sim”, e sentenciou o 358º voto a favor, o que deve ter deixado JB revoltado.

 

Inflamado, João Daniel (PT) foi chamado na sequência. Ele, inicialmente, lembrou a importância dos saudosos ex-senador Eduardo Dutra (PT) e o ex-deputado federal e ex-governador de Sergipe Marcelo Déda (PT), ao declarar que é contra o que sintetizou de “golpe”.

 

“Em homenagem aos grandes homens sergipanos que passaram pelo Congresso Nacional: querido e saudoso ex-senador José Eduardo Dutra e o querido e saudoso ex-deputado federal e governador de Sergipe Marcelo Déda, a classe trabalhadora que está nas ruas não vai aceitar esse golpe de graça. Esse é um golpe contra os pobres, contra a luta do povo, contra o direito da classe trabalhadora, nós votamos com a honestidade da presidente Dilma, votamos contra o golpe”, bradou ele, computando o 134º voto contra.

 

O pastor Jony Marcos (PRB) voltou a reafirmar que votou a favor do impeachment sob a orientação do líder de seu partido, o qual há um mês fazia parte do governo. “Povo brasileiro! O meu partido, o Partido Republicano Brasileiro, do qual sou fundador, que é presidido por Marcos Pereira, tomou um posicionamento e, todos nós deputados, decidimos acompanhar a direção dada por nosso presidente. Sou o último deputado do PRB que vota nesta noite e devo dizer a todos que vou honrar os meus companheiros e acompanhar o voto de todos os 21 deputados que me antecederam aqui nessa tribuna, voto sim”, sentenciou o congressista, no voto de número 359 a favor.

 

O penúltimo parlamentar sergipano foi Laércio Oliveira (SD). E não havia dúvidas sobre seu voto de número 360 a favor. “Em nome do Brasil e a partir daqui nós temos o compromisso muito grande em resgatar o nosso país para o desenvolvimento. Este momento é ponto de partida. Em nome do povo de Sergipe e de dias melhores, meu voto é sim”.

 

Finalizando a bancada sergipana, Valadares Filho (PSB) foi o 360º voto a favor do impedimento da presidente. “Pensando no melhor para o povo brasileiro, respeitando a nossa constituição, seguindo a orientação do meu partido, pelos aracajuanos e povo de Sergipe, voto sim”.

Você pode querer ler também