ARACAJU/SE, 15 de abril de 2024 , 9:37:22

logoajn1

PF terá investigadores disfarçados na manifestação convocada por Bolsonaro, em São Paulo, neste domingo (25)

 

Prevendo um ato bolsonarista tumultuado na Avenida Paulista, a Polícia Federal (PF) terá investigadores disfarçados monitorando a movimentação para identificar eventuais irregularidades.

A manifestação foi convocada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro para a tarde deste domingo (25).

A organização do evento ficou aos cuidados do pastor Silas Malafaia e do advogado Fábio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação do governo Bolsonaro.

Prisão

Se for alvo de ordem de prisão assinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), Jair Bolsonaro já disse a aliados o que pretende fazer: não vai fugir, nem se recolher em algum bunker.

Seguindo o roteiro de perseguido político que escolheu colocar na avenida, o ex-presidente avalia, segundo interlocutores, que o ato de Moraes deflagrará um levante popular no país — estimulado por setores do agro, da igreja evangélica e de outros grupos de admiradores do capitão — e terá ainda desdobramentos internacionais, com representantes da direita denunciando a perseguição do principal opositor de Lula.

A eventual prisão de Bolsonaro — o Exército já organizou um alojamento para receber generais e o próprio ex-presidente — será comparada pela narrativa bolsonarista a procedimentos de regimes autoritários, como o que ocorre com opositores na Venezuela, na Rússia e em outros países.

Nessa linha, o ato deste próximo domingo, na Avenida Paulista, é apenas o passo inicial do movimento.

A interlocutores, Bolsonaro tem dito que Moraes realiza uma cruzada pessoal contra ele — por causa do que passou durante a gestão Bolsonaro, com ameaças em série de aloprados — e que, se depender do ministro, pegará 20 anos de prisão.

Fonte: VEJA

Você pode querer ler também