ARACAJU/SE, 25 de junho de 2024 , 2:07:06

logoajn1

Veja como votaram os deputados sergipanos na denúncia contra Temer

Da redação, AJN1

A maioria dos deputados federais sergipanos votou a favor do prosseguimento da segunda denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer (PMDB). Mas não foi suficiente. Temer recebeu 251 votos a favor e 233 contrários, 25 ausências e 2 abstenções e escapou do afastamento. A base governista precisava de 172 votos para impedir a admissibilidade da denúncia.

A votação da bancada sergipana teve início com Adelson Barreto (PR). “Em sintonia com o povo sergipano e o povo brasileiro, votamos mais uma vez pela investigação do presidente Temer”, discursou de forma sucinta o parlamentar.

Depois foi a vez de André Moura (PSC), o único que defendeu o arquivamento da denúncia. “Em nome da estabilidade econômica, da retomada da geração de emprego e, acima de tudo, em respeito ao povo brasileiro de uma denúncia inepta e irresponsável, eu voto sim”.

Fábio Mitidieri (PSD) veio logo na sequência. Inflamado, ele disse que o arquivamento é uma “vergonha”. “Presidente recebe empresário na calada da noite para ouvir confissão de crime e dizem que tem de mantê-lo. O presidente tem assessor recebendo mala de dinheiro e a maioria dessa Casa diz que está tudo normal. Vergonha o que o povo brasileiro sente hoje e eu não vou colaborar com essa vergonha”, bradou ele.

O deputado João Daniel (PT) também queria a “cabeça” de Temer. “Votando pela coerência e em defesa pela classe trabalhadora, do povo sergipano e do Brasil, não ao golpe continuado, em defesa da soberania nacional, fora Temer”.

Rapidamente subiu à tribuna Jony Marcos (PRB), em tom hostil. “Senhor presidente, lembre-se do meu estado de Sergipe, o pequeno estado. Votei Não na primeira e voto Não na segunda”.

Valadares Filho foi o último a votar e acompanhou a maioria. “O nosso povo não aguenta mais a velha política. O presidente precisa ser investigado!”

Fábio Reis (PMDB) e Laércio Oliveira (SD) estavam ausentes por licença médica.

 A Denúncia

A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou Temer em setembro por obstrução de justiça e organização criminosa e também outros seis políticos do PMDB, entre eles Moreira e Padilha, mas esses apenas pelo segundo crime.

 

 

Você pode querer ler também