ARACAJU/SE, 22 de maio de 2024 , 11:26:43

logoajn1

Comissão da OAB/SE visita hospital João Alves e cobra providências sobre aparelho de radioterapia

A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Sergipe (OAB/SE) visitou na manhã desta sexta-feira (18), o setor de oncologia do hospital governador João Alves Filho com o intuito de cobrar do Estado providências sobre as recorrentes quebras do aparelho de radioterapia, parado há quase dez dias, deixando mais de 90 pacientes sem tratamento.

De acordo com o coordenador de Saúde da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Rodrigo Vasco, os problemas na máquina não podem acontecer. “O Estado tem o dever de fazer alguma coisa com urgência. São pacientes que não podem ficar sem tratamento e estamos falando de vidas que precisam de assistência imediata. Então, vamos discutir com a Comissão e a presidência da OAB quais providências serão tomadas”, disse.

Rodrigo Vasco também informou que os pacientes devem amargar um punhado de tempo, já que os consertos são recorrentes e a instalação de uma nova máquina só deve findar em 10 meses.

“Sabemos dos processos burocráticos, mas a nova máquina só deve ficar pronta em aproximadamente um ano e a que tem no hospital dá defeito com frequência. Infelizmente, pelo que percebemos, os pacientes ainda vão esperar para dar continuidade ao tratamento, o que é inadmissível. A OAB representa a sociedade e vamos analisar o que será feito”, concluiu, com ar de insatisfação.

Defesa

A superintendente do hospital, Lycia Diniz, informou que as novas peças para o aparelho de radioterapia 3D chegarão em no máximo 15 dias. O problema é que ela já havia dito isso semana passada e os dias não diminuem.

“A peça que quebrou está vindo da Alemanha e chegará a Sergipe em no máximo 15 dias e o equipamento será consertado. Mas há outro problema que é a questão do ar condicionado, porque quando o aparelho de radioterapia voltar a funcionar, o ar condicionado pode quebrar a qualquer momento, por estar velho, sendo que um precisa do outro para tudo funcionar corretamente. Mas já compramos o ar condicionado e ele estará chegando em até 45 dias”, disse.

Ela expôs ainda que o aparelho não recebe manutenção corretiva e preventiva, alegando problemas com a empresa Alemã, responsável pelo equipamento.

“A empresa responsável pelo equipamento tem problemas processuais em São Paulo e está impedida de fazer licitações no Brasil e, por isso, o aparelho de rádio não recebe manutenção. Quando quebra, temos que fazer ordem de serviço. Mas estamos fazendo novos processos burocráticos para que a gente tenha manutenção preventiva”.

 

Foto: Lindivaldo Ribeiro/CS

Você pode querer ler também