ARACAJU/SE, 23 de maio de 2024 , 8:53:16

logoajn1

Mais de 130 mil crianças foram imunizadas contra a Paralisia Infantil em Sergipe

De 15 de 31 de agosto foi realizada a 36º edição da Campanha Nacional de Vacinação contra a Paralisia Infantil (Poliomelite). A ação teve como objetivo a vacinação de crianças de seis a cinco anos de idade. A Campanha Nacional de Multivacinação ainda teve como proposta a atualização da Caderneta de Vacina das crianças.

Ao todo, em 16 dias, em Sergipe foram imunizadas mais de 130 mil crianças com a faixa etária de seis meses a cinco anos de idade, o que corresponde ao total de 85% do público-alvo.

“A Campanha Nacional contra a Pólio teve como objetivo atuar na prevenção da doença de forma homogênea. O Brasil está livre do vírus causador da doença desde 1990, ou seja, há 26 anos”, destaca a coordenadora estadual do Núcleo de Doenças Imunopreveníveis e Imunização da Diretoria de Vigilância em Saúde da SEs, Sândala Teles.

Os municípios que ainda não encerraram a contagem dos números do quantitativo de crianças imunizadas têm até o dia 10 de setembro para informar os dados.

“Os municípios que ainda não atingiram as metas estabelecidas pela Secretaria de Estado da Saúde e Ministério da Saúde, que é de 95%, deverão realizar  a busca ativa dos não vacinados”, pontua Sândala.

Campanha

Durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a Paralisia Infantil, a Secretaria de Estado da Saúde disponibilizou à população sergipana 167.782 doses em 400 postos de vacinação, nos 75 municípios. A meta é vacinar 95% do grupo alvo, de forma indiscriminada, ou seja, 144.900 crianças em Sergipe.

“Os pais ou responsáveis que ainda não levaram seus pequenos para receber a dose, devem procurar os locais de vacinação, com o Cartão de Vacinação da criança em mãos”, ressalta a coordenadora.

Prevenção

A vacina é segura e tem elevada eficácia entre 99% e 100%. ”É preciso reforçar que a vacina contra a paralisia infantil é a única forma de prevenção contra a doença, que não possui tratamento. Vale lembrar que, crianças com sintomas como tosse, coriza, rinite ou diarreia podem receber a vacina normalmente”, finaliza Sândala Teles.

Você pode querer ler também