PMA garante atendimento a pessoas com deficiência

 

Os pacientes do Centro Especializado em Reabilitação dois (CER II), no bairro Siqueira Campos, recebem tratamento especializado e adequado às suas limitações. Anexado ao Cemar, o CER II reabilita pessoas de todas as idades com deficiência física, oferecendo serviços de transporte para a locomoção até o local de tratamento e atividades externas, principalmente para as crianças.

Quem chega ao CER II precisando de um tratamento de reabilitação física não se sente desamparado. José Gomes, 53, sofreu um acidente vascular cerebral hemorrágico há dois anos e não trabalha mais. Ele conta que chegou ao centro com dificuldades para andar e precisou fazer sessões de fisioterapia. “Se não fosse o tratamento, eu não tinha me recuperado como me recuperei”, revela. Para voltar a ter os movimentos da perna e do braço esquerdos e sair da cadeira de rodas, Gomes necessitou fazer sessões de fisioterapia e ser levado e trazido da sua casa duas vezes por semana.

São duas vans responsáveis por transportar crianças e adultos com deficiência física. Segundo a gerente do Centro Especializado em Reabilitação II, Mylena Amaral, quando não é possível realizar o transporte, o atendimento é feito na casa do paciente, a depender de seu estado clínico. “São pacientes que precisam de atendimento especial, por terem necessidades diferentes”, explica.

Estes pacientes, considerados em estado de saúde grave, são atendidos, exclusivamente no CER II. Já os pacientes em situação mais branda, são encaminhados para hospitais credenciados para realizarem o tratamento. Cerca de cinco clínicas privadas firmaram parcerias com a Prefeitura de Aracaju para receberem pacientes em estados de menor gravidade. A parceria é considerada “muito boa”, pela gerente Mylena, pois, segundo ela, “é uma forma de acelerar a tratamento de um enfermo e, logo, garantir uma recuperação eficaz”, completa Mylena.

O centro de reabilitação não pretende recuperar somente os movimentos físicos dos pacientes: visa também aumentar a autoestima, principalmente nas crianças. Por isso, a clínica tem investido em atividades externas que levam os pequenos a passeios fora do CER II para quebrar o paradigma de que a deficiência os impede de realizar qualquer atividade. “São pacientes que podem viver e conviver com outras coisas fora do centro de reabilitação”, defende a gerente.

Parcerias

Foi pensando no bem estar dos aracajuanos portadores de deficiência física que a Prefeitura de Aracaju firmou parcerias com clínicas particulares e instituições públicas e privadas para ofertar palestras aos profissionais do centro de reabilitação, melhorando e inovando o atendimento. Os funcionários estão sendo capacitados desde 2016. “A Prefeitura tem convênio com a UFS [Universidade Federal de Sergipe] e a Unit [Universidade Tiradentes] e quando tem palestras sobre a área da deficiência física, os profissionais do Cemar vão assistir essas palestras nestas instituições”, revelou Mylena Amaral.

Fonte: AAN