ARACAJU/SE, 22 de junho de 2024 , 0:45:46

logoajn1

Risco de glaucoma aumenta com envelhecimento; entenda a doença

 

Estamos no Maio Verde, mês de prevenção e combate ao glaucoma. A doença que acomete os olhos é consequência da elevação da pressão ocular e não tem cura. Apesar disso, sem tratamento, pode levar à cegueira.

De acordo com o oftalmologista Dr. Pedro Lima, do CBV – Hospital de Olhos, na maioria dos casos, o glaucoma não apresenta sintomas. “A condição leva à perda visual  iniciando pela periferia da visão e pode levar à cegueira total, sendo hoje a principal causa de cegueira irreversível no mundo”, diz o médico.

Causas e fatores de risco

Segundo ele, o glaucoma pode atingir de recém-nascidos a idosos, mas sua incidência aumenta conforme a idade, sendo que na população acima de 80 anos os números de casos podem chegar a 10%.

Sobre as causas do glaucoma, Pedro explica que esta é uma doença multifatorial, sendo a maioria dos pacientes suscetíveis geneticamente a desenvolvê-lo. “Outros casos podem ser secundários ao uso de corticoides, traumas, doenças da retina e inflamações oculares”, afirma.

Além disso, conforme o médico, a população acima dos 40 anos está mais sujeita a desenvolver a doença. “Lembrando que pode acometer qualquer faixa etária, e vai aumentando o número de casos com o processo de envelhecimento. Idade maior de 40 anos, miopia, histórico familiar, raça negra e pressão intraocular aumentada são os principais fatores de risco”, reforça.

Importância do diagnóstico precoce

Quando o assunto é glaucoma, o diagnóstico precoce é indispensável para preservar a visão. Segundo o oftalmologista, pacientes com diagnóstico tardio, com baixa adesão ao tratamento e acompanhamento inadequado estão mais sujeitos a desenvolver a cegueira. “Lembrando que o tempo de doença também está mais relacionado aos riscos de cegueira”, afirma.

Por outro lado, pacientes diagnosticados precocemente podem ter uma vida normal. “É importante reforçar a necessidade do acompanhamento anual com o médico oftalmologista. Caso tenha algum fator de risco, agende a sua avaliação”, finaliza o Dr. Pedro Lima.

Fonte: Saúde em Dia

 

Você pode querer ler também