SMS e Apae discutem acompanhamento de bebês com microcefalia

Na tarde desta quinta-feira (17), o secretário Municipal de Saúde, Luciano Paz, e o coordenador da Rede de Atenção Primária, Murillo Oliveira, se reuniram com o presidente da Associação de Pais e Amigos Excepcionais (Apae) de Aracaju, Max Guimarães, para discutir estratégias de acompanhamento às gestantes, assim como aos bebês com Microcefalia.

 

De acordo com o presidente da Apae, Max Santos Guimarães, o objetivo foi dar apoio à secretaria de saúde e à prefeitura diante do alto número de casos de Microcefalia. “É preciso ter a preocupação através da prevenção, acompanhando as gestantes e os bebês, para que não venham a nascer outras crianças com essa deficiência. A reunião foi bastante produtiva, pois a Apae está à disposição para fechar essa parceria e queremos que ela seja concretizada e que possa auxiliar a SMS, para que tenhamos um serviço bem qualificado na Rede Municipal de Saúde”, destacou.

 

Para o secretário Luciano Paz, a expectativa dessa reunião foi muito boa, pois estamos num momento mais que necessário com relação a essa questão da Microcefalia. “Sabemos que temos uma demanda grande de pré-natal e que, às vezes, não conseguimos atender dentro dos prazos específicos. Nossa expectativa a partir desse acordo firmado é que a gente possa estar estruturando esse atendimento às gestantes e que elas consigam fazer seus exames dentro dos prazos estipulados pelas diretrizes do Ministério da Saúde, para que a gente tente identificar qualquer anomalia que possa está acontecendo durante a gravidez, inclusive a Microcefalia, se for o caso”, informou.

 

Ainda segundo o secretário, o prazo para execução do acordo será a partir da primeira semana de janeiro. “Estabelecemos que no início do ano a SMS começa de cara nova esse atendimento às gestantes de Aracaju. A Apae auxiliará em todos os exames necessários ao pré-natal, nos exames de sangue e os diversos exames laboratoriais necessários, além da ultrassom que também estamos negociando. Já as consultas continuam sendo realizadas dentro da Atenção Básica nas Unidades de Saúde da Família”, pontuou.

 

O coordenador da Rede de Atenção Primária, Murillo Oliveira, afirma que essa parceria é uma forma de fortalecer e qualificar os serviços oferecidos as gestantes nas Unidades de Saúde da Família da capital. “As gestantes continuarão sendo assistidas pelas USFs, mas essa parceria facilitará a oferta dos exames necessários durante o período da gestação, proporcionando um diagnóstico precoce de doenças que devem ser diagnosticadas nesse período, possibilitando assim uma intervenção em um momento mais oportuno”, acrescentou.

 

Fonte: PMA