Trabalho social com famílias é tema de teleconferência

Da AAN

 

O trabalho social com as Famílias no âmbito do SUAS – Sistema Único de Assistência Social – foi tema de teleconferência exibida para os técnicos dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) de Aracaju, que aconteceu ontem (22), no auditório do Centro Administrativo Aloísio Campos.

 

A reprise do programa desenvolvido pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome teve a participação da secretária nacional de Assistência Social do MDS, Ieda Castro; da professora da Universidade Católica de Pelotas (RS), Regina Mioto; e de técnicos dos Departamentos de Proteção Social Básica e Especial da Secretaria Nacional de Assistência Social.

 

Em pauta, o desenvolvimento de ações de Proteção Social Básica, de caráter preventivo, protetivo e proativo, reconhecendo as famílias e seus membros como sujeitos de direitos, e tendo como foco as potencialidades e vulnerabilidades presentes em seus territórios de vivência. A partir deste ano, além do plano de atendimento individualizado, as famílias serão atendidas em grupo nas unidades.

 

“Nós estamos com dez anos da política de assistência. Faz parte da realidade dessa política o acesso também aos direitos que são subjetivos e que se concretizam na vivência da família. Estamos trabalhando, fazendo ações contínuas com foco na promoção dos direitos. A família que participa de um grupo no Cras ou tem um atendimento individualizado está recebendo informações importantes que vão facilitar o acesso a esses direitos que podem transformar sua realidade”, afirmou o psicólogo do Cras, Caio Cunha.

 

Capacitação

 

Já a assistente social do Cras Jardim Esperança, Evânia Oliveira dos Santos, reconheceu o aprimoramento das ações do PAIF nas unidades, após a promoção de mais capacitações e reuniões entre gestão e técnicos. “Essas capacitações são essenciais porque, além do conhecimento, podemos interagir com outros técnicos. Também foi um grande avanço a promoção de reuniões contínuas entre gestão e técnicos. Isso melhorou muito o nosso trabalho”, disse a assistente social.

 

Além de capacitações, a coordenadoria de Proteção Social Básica da Secretaria Municipal da Família e da Assistência Social (Semfas) tem investido em reuniões mensais com os técnicos e em oficinas pedagógicas com os educadores. “Reconhecemos a importância do trabalho do técnico nas unidades e de ouvir o que eles têm a dizer, porque temos um objetivo comum, que é trazer um atendimento cada dia melhor para as famílias referenciadas nos Cras de Aracaju, ampliando seu acesso aos direitos socioassistenciais e diminuindo a situação de pobreza”, afirmou Meilane Alves, coordenadora de Proteção Social Básica.