CONGRESSO - 05/02/2020 - 13:53

Senadora quer mais conscientização sobre os riscos do câncer

Foto: Divulgação

A senadora Maria do Carmo Alves defendeu nesta quarta-feira  (5), uma ampla política de propagação e conscientização sobre os fatores que estimulam o desenvolvimento do câncer, como o uso de cigarros, a falta de atividade física regular e o consumo de alimentos enlatados.  

“Essas são sugestões feitas pelo próprio Instituto Nacional de Câncer, mostrando que alguns cuidados poderiam evitar um a cada três casos de câncer”, salientou a senadora sergipana.

Ela disse que há estudos que mostram que cerca de um terço das mortes por câncer está diretamente ligada aos maus hábitos alimentares, tabagismo e excesso de bebidas alcoólicas. 

“Infelizmente, muita gente ignora isso e, de repente, é surpreendida pela doença. Entendo que massificar campanhas é uma forma eficaz de mostrar os riscos e chamar a atenção da sociedade para a gravidade do problema”, defendeu a senadora, acrescentando que, segundo dados do Inca, o Brasil deve registrar uma média de 625 mil novos casos de câncer, por ano, de 2020 a 2022. Desses, aproximados 8.500 casos afetarão crianças e adolescentes.

Para a senadora, não se pode negligenciar. “Mesmo que não existam histórico familiar e sintomas aparentes, é importante ter uma vida saudável, consultar um médico e fazer os exames de rotina”, disse. 

De acordo com ela, são medidas que já contribuem para a possível detecção dessa doença maligna, em estágio inicial, o que facilita o tratamento e aumenta a chance de cura. Maria lembrou que uma Lei (13.896/2019) sancionada em outubro passado, garante que pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), com suspeita de câncer tenham direito à realização de exames no prazo máximo de 30 dias.