CRÍTICAS - 06/02/2020 - 14:05

Sindmed rechaça terceirização do Samu



Da redação, AJN1

O presidente do Sindicato dos Médicos de Sergipe (Sindmed), João Augusto, se manifestou contrário à terceirização do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Sergipe (Samu), anunciada pelo Governo na última semana. Na avaliação do sindicalista, o Governo “erra” ao instituir um modelo de gestão compartilhada com a iniciativa privada.

O processo licitatório já está aberto e o prazo final para as empresas enviarem propostas é dia 9 de março. O Governo também visa de terceirizar unidades hospitalares, a exemplo do Hospital Regional de Nossa Senhora da Glória, no Alto Sertão, intenção também rechaçada pelo Sindmed.  

“A história se repete, as mesmas desculpas, as mesmas justificativas dos governos. Os órgãos de controle da sociedade aceitam, os deputados (maioria) aceitam, Conselho Estadual de Saúde aceita. Parece que isso é novidade. Memória curta ou repetir erros?”, questiona João Augusto.

O presidente lembra que já teve época em que se contratava médicos para a rede estadual “terceirizando” através da Sociedade Médica de Sergipe (Somese), mas segundo ele, não deu certo.

“Contratavam médicos terceirizando, quarteirizando, pejotizando, através da Maternidade Santa Isabel. Não deu certo. Terceirizou a Ala Azul do Huse (Hospital de Urgência de Sergipe), não deu certo. Criou a Fundação Hospitalar de Saúde, não deu certo. Investir, valorizar e fixar o médico com bons salários, piso da Federação Nacional dos Médicos, carreira médica e estatutário. Isso não testaram. O que o médico pede e sinaliza não testam”, critica.

Enfático, João Augusto diz que os governos preferem “repetir o mesmo ciclo”. “E esses mesmos órgãos de controle que apoiam dizendo ser uma solução que trará mais excelência, depois criticam. Os governos sempre trazem a máxima de que com esse modelo novo, velho na realidade, o serviço ofertado será de excelência”.