O Sistema Financeiro em Sergipe

O Sistema Financeiro Nacional vem apresentando declínio no quantitativo de instituições financeiras, dados coletados no Banco Central do Brasil, através da Diretoria de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução, revelam este cenário, pois no ano de 2013 tínhamos no Brasil 2.016 instituições financeiras, número que na base de fev/2021 está em 1.629, uma redução de 19,1%. Mas o Sistema Financeiro ainda exerce um papel fundamental no desenvolvimento econômico do país, e por conta disso, abordarei neste breve ensaio o sistema financeiro em Sergipe.

Na posição de fevereiro/2021 Sergipe sediava 5 (cinco) instituições financeiras, na seguinte tipologia: 1 (um) Banco Múltiplo, 1 (uma) Sociedade de Crédito Direto, 2 (duas) Cooperativas de Crédito e 01 (uma) Sociedade Administradora de Consórcio.

Do ponto de vista conceitual referidas instituições realizam as seguintes atividades:

Banco Múltiplo –  é o banco que além de banco comercial, acumula funções de outras carteiras, como a de investimento ou de câmbio.

Destaco que conforme definido pelo Banco Central do Brasil, banco é a instituição financeira especializada em intermediar o dinheiro entre poupadores e aqueles que precisam de empréstimos, além de custodiar (guardar) esse dinheiro. Ele providencia serviços financeiros para os clientes (saques, empréstimos, investimentos, entre outros). Os bancos são supervisionados pelo Banco Central do Brasil, que trabalha para que as regras e regulações do Sistema Financeiro Nacional sejam seguidas por eles.

Vale destacar que além da sede de um Banco que o estado possui outros bancos que não possuem sede em Sergipe atuam fortemente no Estado. Por conta disso, dos 75 municípios sergipanos, 46 possuem agência bancária (na base de fev/2021); este número já foi maior em dez/2016 eram 50 municípios sergipanos com agências bancárias. Os outros 29 municípios sergipanos que não possuem agência bancária, dispõem do seguinte: 17 com PA (Posto de Atendimento), 4 sem PA (Posto de Atendimento) mas com PAE (Posto de Atendimento Eletrônico) e 8 sem nenhuma dependência bancária.

Sergipe possuía na base de fev/2021, 191 agências bancárias, em dez/2016 eram 215 agências bancárias, ou seja, ocorreu uma queda de11,1% no número de agências bancárias em Sergipe neste período. São 87 postos de atendimento, em dez/2016 eram 86, ocorreu o aumento de 1 posto de atendimento no período. Posto de Atendimento de Cooperativas temos 7, em dez/2016 tínhamos 5, aumentamos em mais 2 postos de cooperativas no período. Sergipe tem 323 Postos de Atendimento Eletrônico, na base de dez/2016 eram 385, tivemos uma redução neste tipo de atendimento bancário de 62 postos e isto causa impacto no atendimento, pois é um canal de atendimento que é muito utilizado pela população.

Na Região Nordeste Sergipe tem mais agências bancárias que os Estado de Alagoas (202 agências), Piauí (180 agências) e Rio Grande do Norte (205 agências). Já com relação a Posto de Atendimento é o Estado com o menor quantitativo da Região Nordeste, também tem o menor quantitativo de postos de atendimentos de cooperativas e em postos de atendimento eletrônico possui mais que o Piauí (283 PAE) e o Rio Grande do Norte (305 PAE).

Mas cabe ressaltar que no Sistema Financeiro Nacional (SFN), os bancos e as caixas econômicas não são a única opção para clientes e consumidores acessarem serviços financeiros, as instituições não bancárias são uma alternativa. 

As cooperativas de crédito são instituições financeiras formadas pela associação de pessoas para prestar serviços financeiros exclusivamente aos seus associados. Os cooperados são ao mesmo tempo donos e usuários da cooperativa, participando de sua gestão e usufruindo de seus produtos e serviços. Nas cooperativas de crédito, os associados encontram os principais serviços disponíveis nos bancos, como conta-corrente, aplicações financeiras, cartão de crédito, empréstimos e financiamentos. Os associados têm poder igual de voto independentemente da sua cota de participação no capital social da cooperativa.

De acordo com definição do Banco Central do Brasil, por meio da cooperativa de crédito, o cidadão tem a oportunidade de obter atendimento personalizado para suas necessidades. Então este seria um tipo de instituição financeira que poderia crescer mais no Estado de Sergipe, temos apenas duas e somente sete postos de atendimento de cooperativas. Nos demais estados da Região Nordeste, este sistema é bem forte, destacando-se que o Brasil possui 883 cooperativas de crédito.

Ressalte-se que as cooperativas de crédito são autorizadas e supervisionadas pelo Banco Central, ao contrário dos outros ramos do cooperativismo, tais como transporte, educação e agropecuária.

Sergipe possui uma administradora de consórcios o que é relevante para dinamizar o sistema financeiro do estado, pois o consórcio é a reunião de pessoas naturais e jurídicas em grupo, com prazo de duração e número de cotas previamente determinados, promovida por administradora de consórcio, com a finalidade de propiciar a seus integrantes, de forma isonômica, a aquisição de bens ou serviços, por meio de autofinanciamento.Já a administradora de consórcios é a pessoa jurídica prestadora de serviços com objeto social principal voltado à administração de grupos de consórcio, constituída sob a forma de sociedade limitada ou sociedade anônima.

Sergipe também uma sociedade de crédito direto que fornece empréstimo e financiamento para aquisição de bens, serviços e capital de giro.

Investir no sistema financeiro é complexo, porém é importante que os empreendedores locais pensem nesta opção de novos negócios, fins propiciar uma maior alavancagem de recursos no estado pela via das instituições financeiras.

Autor

Saumíneo Nascimento

Outras Notícias

voltar para página inicial