Acusado de estuprar e matar bebê é condenado

Da redação, AJN1

 

Acusado de raptar, estuprar, matar e ocultar o corpo de uma menina de um ano e seis meses em Itaporanga D’Ajuda, Benedito Gomes Santos, que se encontra foragido, foi condenado a 36 anos e três meses de prisão em regime fechado. O julgamento ocorreu 20 anos depois dos crimes e na acusação atuou o promotor de Justiça Peterson Almeida Barbosa.

 

Os crimes ocorreram no dia 5 de maio de 1996 no povoado Chã em Itaporanga. De acordo com os autos, Benedito, juntamente com Paulo César Bitencourt – que já foi julgado e condenado a uma pena superior a 28 anos de reclusão -, arrombaram a janela da casa de Josiene Sales Santos.

 

Se aproveitando que a mulher havia saído de casa por alguns instantes, a dupla raptou a filha dela, Josiclécia Ferreira Lima dos Santos, com um ano e seis meses de idade.  A criança foi levada a um local ermo, onde os dois homens se revezaram nos abusos sexuais e acabaram por matá-la por asfixia. Em seguida, a dupla ocultou o corpo em uma gruta de difícil acesso.

 

Na época o crime foi investigado pelo então delegado comissionado de Itaporanga D’Ajuda, o policial civil Israel Sarmento, que chegou a identificação dos acusados, chegando a prender Paulo César. Benedito, que se encontra foragido, está com preventiva decretada pela justiça.