Bolsonaro diz que assinará MP liberando R$ 2,3 bi para estados afetados pelas chuvas

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira (13/01) que até a próxima segunda-feira (17) deverá assinar uma Medida Provisória (MP) de crédito extraordinário prevendo a liberação de R$ 2 bilhões para estados afetados pelas fortes chuvas como Bahia, Minas Gerais e Goiás. A declaração ocorreu durante transmissão de live por meio das redes sociais.

“Acho que até segunda conseguimos assinar essa MP. Estão previstos R$ 1,3 bi para o MDR do Marinho para outras obras mais urbanas dentro do município. Também R$ 700 mi ou R$ 800 mi para a Tereza Cristina na Agricultura por conta de problemas com chuva na região de Minas, em especial, e seca no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná”.

Bolsonaro também se referiu ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que estava ao lado do presidente durante a live. “Só ano passado você conseguiu R$ 200 mi de crédito especial para dar uma arrumada nisso que a natureza estragou. Só que as chuvas prosseguiram e tivemos problemas mais sérios em Minas e outros estados do Brasil. No momento, você está conversado com o Ministério da Economia um montante em crédito extraordinário para você. Num primeiro momento, você acha que quanto seria suficiente para restabelecer a trafegabilidade nessas regiões?”, questionou.

Freitas rebateu: “A gente está estimando alguma coisa em torno de R$ 1 bilhão para fazer todos os trabalhos de recuperação necessários. Nós tivemos muitas quedas de barreiras, deslizamento de aterro, interrupções das mais diversas vias, rompimento de talude, encabeçamento de pontes. É um trabalho grande. São pontos de interdição, total ou parcial, e a gente vai ter que restabelecer a mobilidade das pessoas, garantir a segurança de trafegabilidade. Esse dinheiro vai ser muito importante, uma chuva que veio num volume muito maior e trouxe muitos incidentes em rodovias federais”. “Estaremos prontos para executar os serviços tão logo a água baixe, tão logo tenha condição de segurança e técnica para fazer o serviço”, concluiu.

Ingrid Soares – Correio Brasiliense