Comércio baixa as portas com a presença de manifestantes

Da redação, AJN1

Lojas do centro comercial de Aracaju até que tentaram funcionar nesta sexta-feira (28), mas com a chegada de manifestantes que acompanham a Greve Geral, organizada por sindicatos e movimentos sociais, elas acabaram fechando as portas. A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) havia informado que o comércio iria funcionar normalmente e até anunciou promoções para atrair consumidores.

No entanto, ontem (27), sindicalistas anunciaram que pretendiam impedir o funcionamento das lojas e a circulação de transporte coletivo na capital. Algumas lojas até que iniciaram o expediente, mas os manifestantes realizaram um ato na frente de cada uma delas. Diante da pressão, por temer algum incidente, os estabelecimentos acabaram fechados.

Desde as primeiras horas de hoje que a capital de Grande Aracaju estão sem transporte coletivo. As empresas de ônibus tiveram as garagens bloqueadas por veículos e pedras, impedindo a saída dos rodoviários. As Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital também estão fechadas em decorrência da adesão a greve por parte dos trabalhadores.

Várias avenidas a exemplo da Marechal Rondon e Santa Gleide, que dá acesso a rodovia Lauro Porto, estão bloqueadas.