CPI da Saúde constata desvio de verbas destinadas à oncologia do HC

Da redação, AJN1

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde – criada há nove meses com o objetivo de investigar possíveis irregularidades nos contratos de três hospitais filantrópicos (São José, Santa Isabel e Hospital de Cirurgia) com a Prefeitura Municipal de Aracaju nos anos de 2012 a 2017 – foi finalmente concluído pelo presidente e relator da Comissão, vereador Isac Silveira.

De acordo com o relatório, o ex-presidente do Hospital de Cirurgia, Gilberto Santos, foi responsabilizado por desvio de recursos destinados ao setor de oncologia, isto é, os recursos, oriundos do governo Federal, estavam sendo encaminhados para outro setor da unidade hospitalar, o que configura crime de desvio de finalidade.

“A CPI visitou os três hospitais e tomamos depoimentos dos gestores e dos ex-secretários municipais. Houve contradições nas informações sobre repasses ou não de dinheiro. Segundo a CPI, houve desvio de recursos da União que pagava serviços na parte de oncologia para outros serviços do hospital, o que caracteriza desvio de finalidade no Hospital de Cirurgia. Constatamos pouca prudência no uso dos recursos públicos”, disse o relator Isac Silveira.

Em tom ácido, o vereador Cabo Amintas, que é secretário da CPI, disse que havia uma monarquia instalada no HC. “Muito nepotismo. A diretoria era formada por uma família. Além disso, havia mau uso de verba pública. Foi feito um trabalho brilhante pelos vereadores”.

Com relação ao São José e Santa Isabel, o vereador Isac afirma que foram constatados diversos problemas no tocante ao atendimento aos pacientes.

O relatório da CPI será enviado ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Civil.

Contatos

Até o fechamento desta matéria, a AJN1 não conseguiu contato com a interventora judicial do Cirurgia, Márcia de Oliveira Guimarães, e com o ex-presidente, Gilberto Santos.