ARACAJU/SE, 13 de abril de 2024 , 20:13:36

logoajn1

Cresce número de crianças e adolescentes exercendo atividades laborais em SE

Com o objetivo de chamar a atenção da sociedade acerca dos malefícios causados pelo trabalho infantil e marcar o dia mundial de combate ao trabalho infantil, o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil em Sergipe (Fepeti/Se), realizou na tarde desta quinta-feira (9), um ato público contra o Trabalho Infantil – em defesa dos direitos humanos de crianças e adolescentes.

 

Além da caminhada, o evento abriu espaço para manifestações culturais com grupos das cidades de Aracaju, Nossa Senhora da Glória, Itabaianinha, Lagarto, São Cristóvão, Barra dos Coqueiros, Japoatã, Estância, Simão Dias e Santa Luzia do Itanhy.

 

De acordo com o Ministério Público do Trabalho em Sergipe (MPT/SE), apesar de ser o menor estado da Federação, Sergipe ocupa a 2ª posição em relação ao maior aumento percentual no número de crianças e adolescentes, de 5 a 17 anos, exercendo atividades laborais.

 

Segundo a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio (PNAD) do IBGE-2014, a incidência do trabalho infantil, passou de 7% em 2013 para 10,4% em 2014. A pesquisa mostra que a maioria dos trabalhadores é do sexo masculino, residentes em áreas rurais, embora apresente também um número significativo em áreas urbanas. Os setores com maior destaque são: agricultura, comércio e serviços.

 

No Estado, o maior número de trabalhadores está nas cidades de Itabaiana, Canindé do São Francisco, Lagarto, Itabaianinha, Nossa Senhora da Glória, Poço Redondo, São Cristóvão, Tobias Barreto, Simão Dias, Estância, Poço Verde, Nossa Senhora do Socorro, Porto da Folha e Aracaju. Nestes locais, as crianças e adolescentes costumam trabalhar em atividades ligadas à agricultura familiar ou feiras livres.

 

Brasil

 

Em 2014, conforme relatório do MPT, o trabalho infantil no Brasil cresceu 9,3% em comparação ao ano de 2013, é o que revela a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad). O estudo, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que 554 mil crianças entre 5 e 13 anos estão trabalhando, ou exercendo alguma função não-remunerada, em todo país.

 

Trabalho infantil no mundo

 

De acordo com o Relatório Mundial sobre Trabalho Infantil lançado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), em 2015 haviam 168 milhões de crianças realizando trabalho infantil no mundo, destas cerca de 5 milhões em condições análogas à escravidão.

 

Ainda segundo a Organização as piores formas de trabalho infantil são: o uso de crianças em trabalho escravo, trabalhos forçados, tráfico, servidão por dívida, exploração sexual, pornografia, recrutamento militar e conflitos armados, além de quaisquer outras formas de trabalho que possam oferecer riscos à saúde física e moral das crianças.

 

Com informações do MPT

Você pode querer ler também