ARACAJU/SE, 25 de junho de 2024 , 3:20:58

logoajn1

Divina Pastora é proclamada padroeira de Sergipe

 

A comunidade católica em Sergipe está em festa e comemora a proclamação de Nossa Senhora Divina Pastora como a padroeira do Estado. Um decreto assinado pelos bispos das três dioceses da Província Eclesiástica de Aracaju lido neste domingo (15), durante celebração eucarística concelebrada pelo arcebispo Metropolitano da capital, dom João José Costa, o bispo de Estância, dom Giovanni Crippa e do bispo de Propriá, dom Mário Rino Sivieri, oficializou o ato. A missa campal que aconteceu no Santuário Arquidiocesano da santa, em Divina Pastora, teve a participação de dezenas de sacerdote e foi acompanhada por milhares de peregrinos.
Na homilia, dom Mário Rino Sivieri destacou algumas das razões que tornaram a Mãe Pastora tão venerada e querida pelo povo sergipano. “Maria Santíssima é aquela que nos dá o Divino Pastor, que silencia para que a voz do Seu filho possa ressoar no mundo inteiro. Como pastora, ela está à nossa frente, ajudando-nos a enfrentar as dores, os sofrimentos, colocando no colo de Deus todos os que a ela recorrem. E também vai ensinando seus filhos que tudo se alcança com a graça do alto”, assinalou o bispo diocesano de Propriá.

Dom João José Costa lembrou que o acontecimento é fruto da iniciativa tomada há 59 anos, pelo então padre Luciano Cabral – que foi o segundo Arcebispo Metropolitano (1971-1998) -, de organizar, com jovens universitários, a primeira peregrinação à Divina Pastora. Ele ressaltou que tem sido crescente o número de fiéis de Sergipe e de outros estados que vêm à Divina Pastora para um fervoroso encontro pessoal com a Mãe de Jesus, o Bom Pastor, observou o arcebispo. “Estamos decretando aquilo que já está consolidado na história de fé do nosso povo”.

Padroeira

Sergipe era o único estado brasileiro que ainda não possuía uma padroeira. A sugestão de colocar os católicos sergipanos sob o manto e o pastoreio da Divina Pastora foi apresentada, inicialmente, a dom João Costa pelo padre Helelon Bezerra dos Anjos, reitor do santuário, durante uma visita pastoral, em 2015. “O arcebispo escutou, acolheu, ficou entusiasmado com a ideia e aí partimos para as pesquisas. Permitimos que o tempo e a graça de Deus nos fossem mostrando se este seria o caminho”, recordou o padre Helelon.

A elevação de Nossa Senhora Divina Pastora à condição de padroeira de Sergipe também marcou a celebração dos 200 anos de criação de paróquia de Divina Pastora e o início da programação comemorativa dos 60 anos da Peregrinação. O padre Helelon destacou que em 2017 também é celebrado os 170 anos da morte do pintor baiano José Teófilo de Jesus, que foi pela pintura dos painéis em madeira, que ficam no forro da nave central da igreja matriz de Divina Pastora. O novenário e festa da padroeira de Sergipe estão programados para o período de 3 a 12 de novembro.

*Com informações da Arquidiocese de Aracaju

Você pode querer ler também