ARACAJU/SE, 27 de maio de 2024 , 3:51:45

logoajn1

Em 24 horas de alerta, Aracaju registra acumulado de mais de 90 milímetros de chuva

 

Nesta quarta-feira (24), foi encerrado o período de alerta para chuvas com intensidade de moderada a forte, na capital. O aviso emitido na tarde da terça-feira (23) pela Defesa Civil, órgão que integra a Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), da Prefeitura de Aracaju, manteve a população em atenção para situações de anormalidade, especialmente em áreas de risco.

Em 24 horas, o volume acumulado de chuva chegou a 94,5 milímetros (mm), sendo 40 mm registrados no intervalo de uma hora, com maior concentração no bairro Centro. As precipitações foram monitoradas em todas as regiões da capital, havendo maior acumulado registrado na região central e na Zona Sul.

Nesse período, a Defesa Civil atendeu a 26 chamados registrados através do serviço emergencial 199, dos quais 13 para situações de alagamentos, oito avaliações de risco estrutural, três colapsos parciais, uma queda de árvore e um risco de deslizamento de terra. Não houve situações com maior gravidade, assim como não houve registro de pessoas desabrigadas ou desalojadas.

O secretário municipal da Defesa Social e da Cidadania, tenente-coronel Silvio Prado, frisa que os órgãos que integram o Comitê de Gerenciamento de Crise da Prefeitura de Aracaju estiveram atentos às demandas para reduzir transtornos à população. “As ações ocorrem permanentemente, visando a otimizar o sistema de drenagem urbana da capital, o que gera um rápido escoamento das águas pluviais, tão logo ocorrem a redução da intensidade das precipitações. Trabalhamos de maneira integrada para atender à população e reduzir riscos”, destaca o secretário.

O coordenador da Defesa Civil de Aracaju, Robson Rabelo, ressalta que o grande acumulado já registrado ao longo do mês deixa as equipes em atenção, para reforçar o monitoramento em áreas de risco. “O acumulado de chuva neste mês de abril chegou a 367 mm, até o momento, superando a média histórica, que é de 192,3 mm. Mantemos atenção especialmente às áreas de encostas de morro, devido à tendência de saturação do solo. Além de inspeções técnicas nessas localidades já mapeadas pelo órgão, reforçamos as orientações para moradores, de maneira que possam acionar o órgão diante da visualização de anormalidades”, frisa o coordenador.

Ainda de acordo com Robson Rabelo, as previsões meteorológicas são monitoradas. “De acordo com as previsões dos centros especializados, há possibilidades de pancadas de chuva com intensidade moderada nos próximos dias, porém de forma passageira. Manteremos atenção para adotar as providências que sejam necessárias à redução de riscos à população”, enfatiza o coordenador da Defesa Civil de Aracaju.

Limpeza de canais que integram a rede de drenagem da capital

A Prefeitura de Aracaju continua em alerta diante da previsão de mais chuvas na capital para os próximos dias. Desse modo, os trabalhos preventivos que promovem o melhoramento da drenagem na rede pluvial do município seguem sem interrupção. Conforme planejamento, a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) iniciou, nesta quarta-feira (24), a limpeza no canal do Jardim Bahia, na Soledade, Zona Norte da cidade.

Por ser extenso e apresentar características específicas, as atividades neste canal serão executadas em etapas e por diferentes metodologias, de modo a obter uma eficiência maior durante o serviço que envolve o desassoreamento, conforme explica o presidente da Emsurb, Bruno Moraes.

“Através do nosso monitoramento, determinamos a melhor técnica a ser empregada em cada localidade. Por esta razão, no Jardim Bahia faremos a intervenção no trecho de curso natural pelo método mecanizado, com o uso de escavadeira hidráulica e, a partir do ponto revestido, situado na avenida Benjamim Constant, será utilizada a barragem móvel”, detalha.

O cronograma de intervenções colocado em prática ao longo do ano, pela Diretoria de Operações da empresa, contempla também locais com maior incidência de retenção, ocasionada pelo descarte irregular. “Por isso, as atenções são voltadas para as saídas da rede de drenagem, a exemplo dos bueiros, além das mobilizações de cunho ambiental que buscam conscientizar a população a respeito do risco de alagamentos com o despejo de resíduos às margens dos canais”, acrescenta o presidente.

Também nesta quarta-feira (24), de forma manual, as equipes deram continuidade às atividades de desobstrução nos bairros São José e 17 de Março. Já a metodologia por barragem foi utilizada no canal do Almirante Tamandaré e Aruana. A manutenção na drenagem foi intensificada ainda no Capucho e Ponto Novo, a partir da metodologia mecanizada.

“Geralmente realizamos este serviço a cada três meses. Entretanto, antes deste prazo podemos retornar e fazer a limpeza no mesmo canal. Tudo isso é fruto de um trabalho intensivo, por parte dos nossos fiscais, que sinalizam a necessidade de intervenção nos canais que passam por monitoramento contínuo. O nosso intuito é preparar a cidade para o enfrentamento de situações que prejudicam a população, principalmente no período chuvoso”, conclui Bruno Moraes.

Você pode querer ler também