ARACAJU/SE, 25 de junho de 2024 , 2:12:03

logoajn1

Emsurb diz que ação de despejo dos vendedores ambulantes do Huse visa “organizar a cidade”

 

Da redação, AJN1

Na última segunda-feira (14), os vendedores ambulantes que comercializam alimentos em frente ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) foram notificados pela Empresa Municipal Serviços Urbanos (Emsurb) a se retirarem do local. Dos 15 trabalhadores, apenas cinco conseguiram uma liminar na Justiça dando o direito de permanência na área.

Ontem (17), o prazo dado pela Emsurb expirou e os que não conseguiram amparo judicial, cabisbaixos, desarmaram suas barracas sortidas por doces e salgados e foram embora, sem conflito, deixando no caminho as lágrimas da insatisfação, já que muitos dependem desse serviço para sobreviver.

O assessor de comunicação da Emsurb, Augusto Aranha, afirmou ao AJN1, por telefone, que a ideia de retirar os vendedores não foi por capricho, mas com dois objetivos claros: atender a uma solicitação da direção do hospital, que não comunga com a presença dos trabalhadores nas imediações da unidade; e de dar sequência à política municipal de “organizar a cidade”.

“O que nós queremos é organizar a cidade como estava estabelecido. Nós já tínhamos dado um prazo a eles. Os ambulantes que ali se encontram não têm permissão da Emsurb, órgão competente do Município para a liberação do espaço público para negociação. Eles não estavam autorizados. Um agravante é que houve uma solicitação do Hospital para a retirada deles. Nós notificamos na segunda-feira, dando um prazo de 72h para a retirada. O prazo venceu ontem e nós constatamos que haviam alguns ambulantes que conseguiram na Justiça uma liminar que dá o direito de permanência”, esclareceu Aranha.

 

Você pode querer ler também