ARACAJU/SE, 22 de junho de 2024 , 0:05:11

logoajn1

Expansão da área de Gestão de Projetos no Brasil impulsiona aprimoramento de habilidades técnicas e gerenciais

 

A cada ano, o mercado de trabalho global, sobretudo de países como Estados Unidos, China e Índia, tem registrado aumentos significativos na procura por profissionais ligados ao campo da Gestão de Projetos. O maior país da América Latina também segue esta tendência mundial e aponta um cenário promissor: um aproximado de 2 milhões de empregos devem ser gerados nos próximos três anos em terras brasileiras, conforme projeção do Product Management Institute (PMI), principal associação do mundo para a esta comunidade.

Nesta perspectiva, à medida em que o setor cresce de forma exponencial, as demandas por profissionais qualificados não se resumem apenas à quantidade, mas também à qualidade do conhecimento técnico e gerencial dos mesmos. A necessidade de lapidar tais competências tem se tornado um foco central, tanto para os profissionais, quanto para as organizações, e é defendida pelo docente do curso de pós-graduação em MBA em Gestão de Projetos da Universidade Tiradentes (Unit) e consultor regional de Melhoria Contínua, Adriano Bastos.

“Encontrar o equilíbrio entre o desenvolvimento de habilidades técnicas e gerenciais é crucial para o sucesso profissional. E aprimorar ambas permite que os profissionais se tornem mais completos, adaptáveis e valiosos para o mercado de trabalho. Mas é preciso entender que esse equilíbrio é um processo contínuo e que exige dedicação, persistência e uma mente aberta para o aprendizado. Vale sempre estar aberto a feedbacks de pares, gestores e clientes, e de tempos em tempos, realizar uma autoavaliação. Tudo isso para determinar os pontos fortes, a serem mantidos, e os pontos fracos, que serão desenvolvidos”, frisa Adriano.

Deste modo, este conjunto de habilidades apontado pelo docente diz respeito a aspectos como planejamento; gestão de orçamento, riscos e de conflitos; técnicas de negociação e resolução de problemas, sem deixar de mencionar a utilização de ferramentas e softwares voltados à área. Este último acrescenta um panorama em ascensão e que, por sua vez, está relacionado ao incorporamento de novas tecnologias e metodologias que favorecem o bom desempenho pelos gestores de projetos.

A Inteligência Artificial e o Big Data são dois grandes exemplos de como a onda tecnológica já atinge o planejamento e execução de projetos por grandes organizações. Um prognóstico possibilitado por ferramentas deste tipo, por exemplo, permite que profissionais do campo se antecipem a possíveis problemas e, com isso, ajustem seu planejamento de modo preventivo. Diante destas novas possibilidades, empresas já vislumbram mudanças: em 2023, mais de 70% delas estudavam a implementação de novas tecnologias, segundo a pesquisa Digibee 2023 State of Enterprise Integration Report, publicada pela revista Forbes.

“Uma das principais tendências emergentes em Gestão de Projetos que merece atenção atualmente é a Inteligência Artificial, que serve para automatizar tarefas, assim como metodologias ágeis, como Scrum e Kanban, que estão cada vez mais populares devido à sua flexibilidade e capacidade de adaptação a mudanças rápidas”, comenta o docente.

Diante deste cenário desafiador, universidades e demais instituições de ensino cumprem um papel essencial para quem quer ir além do básico. A partir de programas atualizados e que miram as novas tendências do mercado, os profissionais da área podem atingir a convergência de habilidades técnicas e gerenciais, se adaptando às novas tecnologias, ao mesmo tempo em que conhecem as exigências e as demandas mais atuais de um mercado cada vez mais em foco.

“É importante uma abordagem abrangente e aplicada, que combine teoria e prática, de modo a preparar os alunos para os desafios do mundo real. Isso inclui o domínio de metodologias de gerenciamento de projetos, o desenvolvimento de habilidades técnicas, estudo de ferramentas e softwares, análise de casos reais, o desenvolvimento de habilidades interpessoais e de comunicação, o aprimoramento de habilidades analíticas de tomada de decisão, assim como uma abordagem ética e responsável”, descreve Adriano.

Fonte: Asscom Unit

Você pode querer ler também