ARACAJU/SE, 15 de abril de 2024 , 10:25:30

logoajn1

Governador de Sergipe destaca importância do Proredes para o fortalecimento e a modernização da saúde pública estadual

 

O Governo de Sergipe deu um novo passo para fortalecer a saúde e a inclusão social no estado. Nesta quarta-feira (28), foi assinado o termo para liberação dos recursos do Programa de Fortalecimento das Redes de Inclusão Social e Atenção à Saúde (Proredes), que representa o compromisso humanitário da gestão de oferecer cuidado, apoio e qualidade de vida à população sergipana.

Projeto desenvolvido pelo governo do estado e executado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Proredes nasceu para fortalecer a gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) em Sergipe, melhorando o acesso e a assistência dos serviços próprios, a fim de promover a integralidade do cuidado no sistema de saúde para a população. O investimento para o programa é de 36 milhões de dólares provenientes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com garantia da União, e uma contrapartida do Estado de 9 milhões e 100 mil dólares, totalizando 45 milhões e 100 mil dólares ao longo de cinco anos.

Por meio do programa, serão realizados investimentos em infraestrutura física, equipamentos, qualificação de gestores e profissionais de saúde, inovação hospitalar, ampliação da oferta de serviços e racionalização de gastos. Além disso, o projeto visa a melhorar a gestão logística de medicamentos, a otimizar a alocação de recursos humanos, a ampliar a oferta de serviços oncológicos e materno-infantis, a  aumentar a capacidade diagnóstica e a ampliar o acesso a serviços especializados por meio do Telessaúde.

Parceria com o BID

Durante a cerimônia de assinatura do termo, o governador Fábio Mitidieri destacou a importância histórica do momento e agradeceu a parceria do BID, que abraçou a causa desde o primeiro momento. As tratativas de parceria com o BID para a concretização do Proredes tiveram início em 2010, sem avanços. Em setembro de 2023, o governador e a equipe estiveram reunidos com o diretor do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no Brasil, Paulo Guilherme Farah Correa, durante missão em Washington, nos Estados Unidos, retomando a pauta.

“Hoje, nasce um novo tempo na Saúde do nosso estado. Há anos que o estado buscava essa parceria. É fundamental ter um banco como o BID ao nosso lado pela referência que ele é não apenas no Brasil, mas no mundo. Isso fortalece ainda mais a credibilidade do estado. Muito mais do que os recursos que foram captados pelo banco, o BID também traz todo o seu conhecimento. Já tivemos a oportunidade de estarmos juntos em Washington, visitando e entendendo um pouco a respeito. Isso é muito relevante para que possamos trazer mais conhecimento para dentro da gestão pública”, considerou o chefe do Executivo estadual.

Inovação na Saúde

Ainda segundo Fábio Mitidieri, com o Proredes, a Saúde estadual sai de uma era analógica em direção a uma era digital. “Estamos trazendo modernidade, desenvolvimento e tecnologia para dentro da saúde pública. Com estes recursos, várias obras serão entregues como hospitais, uma nova maternidade, a de Nossa Senhora de Lourdes que vamos manter o nome e entregaremos uma estrutura moderna. Também teremos melhorias que vão ser feitas no Hospital da Criança, além de entregas em  telemedicina, prontuário eletrônico. Também vamos entregar o Hospital do Câncer de Aracaju, uma ferramenta importante para o estado, pois a população há muito tempo anseia”, disse o governador.

Em seu discurso, Mitidieri também reforçou a relevância da qualificação dos profissionais, que será realizada a partir do Proredes. “Cuidar bem do servidor é cuidar bem da população. Tratar a saúde com o zelo e o respeito que ela merece é tratar bem a nossa população. E esse é o compromisso de todos da Secretaria da Saúde, da Secretaria da Inclusão e de todo o governo, pois quando cuidamos da saúde, cuidamos de várias outras áreas”, acrescentou.

Na ocasião, o secretário de Estado da Saúde, Walter Pinheiro, apresentou as principais ações do programa como os componentes e distribuição de recursos, apoio à ampliação do acesso e da qualidade de serviços, fortalecimento da gestão do sistema de saúde, modernização da gestão da informação e o uso de novas tecnologias na saúde. Ele também destacou que a contrapartida do investimento oriunda do governo já está assegurada para a construção do Hospital do Câncer.

“Nossa missão é distribuir os recursos de maneira bastante técnica e, assim, deixarmos um legado importante para a sociedade sergipana, a exemplo da reforma do Centro Diagnóstico de Imagem, que é uma grande demanda dos municípios que anseios por exames de alta complexidade”, disse o secretário.

Presença do BID

Para a chefe de operações do BID, Paola Martinez, o banco é peça-chave para a execução desse projeto. Ela também aproveitou e agradeceu a parceria e confiança do governo. “Ficamos gratos que o governo tenha confiado na gente para acompanhar esse projeto. Vamos trabalhar juntos para que o programa traga inovações relevantes em termos de tecnologias e gestão de dados. Vamos seguir construindo essa parceria para trazer o melhor para toda a população”, pontuou.

Segundo o chefe de equipe do Proredes pelo BID, Leonardo Shibata, os empréstimos internacionais se tornam uma oportunidade para estados realizarem investimentos com condições financeiras muito boas. “Em Sergipe, os investimentos vão se concentrar na área materno-infantil, que é uma necessidade de melhoria do estado. Também há investimentos no laboratório de saúde pública, uma vez que a pandemia trouxe a importância de fazer investimentos nesse setor e investimentos em melhoria da gestão e saúde digital. O estado precisa estar a par dessas inovações, e esse projeto vai permitir que isso aconteça”, explicou.

Na ocasião, sob a liderança da Secretaria de Estado da Saúde (SES), foi dado início ao workshop Missão de Arranque do Proredes, com o intuito de criar as condições necessárias para o início das atividades do Proredes/SE. Ao longo de três dias, o workshop oferecerá uma visão abrangente do programa, seguida por uma imersão com a equipe da Unidade Gestora do Programa (UGP), com o intuito de revisar o projeto, apresentar as atividades de supervisão, instrumentos de monitoramento e avaliação, ferramentas operacionais, normativas e procedimentos estabelecidos para o funcionamento técnico, fiduciário e legal da operação de crédito.

Foto: César de Oliveira

Você pode querer ler também