ARACAJU/SE, 23 de maio de 2024 , 9:45:56

logoajn1

Greve dos funcionários dos Correios atinge 15 estados e o DF

O número de estados atingidos pela greve dos funcionários dos Correios já chega a 15, além do Distrito Federal: Os servidores de São Paulo, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, Rio de Janeiro e Tocantins paralisavam as atividades e reivindicam 12% de reajuste salarial, mais R$ 200 de reajuste linear, a não alteração do plano de saúde, realização de concurso para a contratação de 17 mil novos funcionários e melhoria da segurança nas agências.

 

 

Na manhã desta quarta-feira (16), foram feitos atos em dois complexos estratégicos da empresa, um no edifício-sede, no bairro do Jaguaré, e outro na Vila Maria, ambos em São Paulo. Outros atos devem ocorrer no decorrer da semana e haverá nova assembleia segunda-feira.

 

“A empresa ofereceu zero de aumento e bônus de R$ 150 mensais durante 12 meses e quer retirar dependentes do nosso plano de saúde e começar a cobrar mensalidade. Dessa forma, fica inviável qualquer tipo de acordo, sendo que a empresa não quer nem repor inflação no período. Estamos tentando negociar há 60 dias, e a greve foi a última alternativa para conquistar alguma coisa”, disse Melo.

 

Correios garantem operação normal

 

Em nota publicada em seu site, os Correios informam que as agências estão abertas e operam com normalidade, inclusive os serviços do Banco Postal e de Sedex. Segundo a empresa, levantamento parcial feito hoje indica que 90,69% dos funcionários estão trabalhando, o que corresponde a 108.185 empregados. O movimento concentra-se na área de distribuição — dos 28.569 carteiros que deveriam trabalhar nesta quarta-feira nas localidades em que há paralisação, 9.750 não compareceram (34,13%). A empresa informa que, se houver necessidade, no fim de semana, pode haver mutirões para entrega.

 

Segundo os Correios, em busca de acordo, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) ofereceu aos trabalhadores reajuste linear de R$ 200 em forma de gratificação (R$ 150 em agosto de 2015 e R$ 50 em janeiro de 2016), o que representa cerca de 15% de aumento sobre o salário base inicial dos carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo. Atualmente, a remuneração (salário mais adicionais) de um carteiro com dois anos de empresa é R$ 1.676.34. Pela proposta do TST, em agosto de 2016, a remuneração iria para R$ 1.940,34. A proposta inclui ainda manutenção do plano de saúde da forma atual e reajuste de 9,56% em benefícios como vales-cesta, alimentação e refeição, auxílio para dependentes especiais e auxílio creche/babá a partir de agosto deste ano.

 

A empresa informa ainda que sua proposta foi aceita por 16 dos 36 sindicatos da categoria e que está tomando as medidas necessárias para que garantir a completa normalização dos serviços no menor prazo possível.

 

* com informações da EBC

Você pode querer ler também