Há mais de um mês em greve, auditores fiscais decidem manter paralisação

Há mais de um mês em greve, os auditores fiscais do Estado decidiram hoje (10), em assembleia, manter a paralisação e aguardar uma sinalização de diálogo do governo do Estado. A categoria também aguarda a decisão do Tribunal de Justiça sobre a ilegalidade da greve.

 

Segundo o presidente do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco/SE), Paulo Pedrosa, o governo do Estado entrou na justiça pedindo a ilegalidade da greve, mas até agora o judiciário não julgou o pedido. “Por enquanto, nossa greve continua legal. Na assembleia tivemos um número expressivo de auditores que optaram pela manutenção do movimento, agora estamos aguardando uma proposta do Governo e uma resposta do judiciário”, explica o sindicalista.

 

Com a paralisação, segundo Pedrosa, apenas o Centro de Atendimento ao Contribuinte (Ceac), que fica em frente a Central de Abastecimento, está funcionando. Os demais pontos de atendimento e postos de fiscalização estão fechados.

 

“Foi montado pela Secretária da Fazenda um grupo de atendimento por conta do REFINS, que é o refinanciamento de débitos, mas sem a presença de auditor 1, apenas com servidores administrativos, e lá é basicamente só atendimento do REFINS”, explica Pedrosa.

 

A categoria reivindica a implantação do Plano de Carreira e a reposição salarial. A Secretaria de Estado da Fazenda (SEFAZ) informou que as reivindicações que não dependem de aporte financeiro poderão ser atendidas.