ARACAJU/SE, 21 de maio de 2024 , 18:55:45

logoajn1

Hospital João Alves reforça estrutura para receber pacientes com queimaduras no período junino

 

 

A direção do Hospital João Alves Filho pretende intensificar os cuidados aos pacientes de queimadura no período junino. A Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) possui um dos mais equipados serviços de assistência às vítimas de queimaduras do Nordeste, sendo um dos poucos da região credenciados pelo Ministério da Saúde como referência nesse tipo de tratamento.

 

Já é notório que, com a chegada do período junino, a unidade dobra o número de pacientes atendidos. Visando dar agilidade às demandas, a equipe multidisciplinar do setor está realizando uma série de ações que geram mais conforto às pessoas lesionadas, além de criar um alerta para a população quanto aos cuidados com a pessoa queimada e principalmente, as formas de evitar a queimadura.

 

Wandressa Nascimento, gerente da UTQ, disse que é preciso mais cuidado com as crianças. “As crianças são grandes vítimas nesse período, por isso, os cuidados devem ser constantes nessa época. As queimaduras são mais frequentes pelo aumento de acidentes domésticos com líquidos aquecidos, o uso inadequado de fogos e substâncias químicas, além das tradicionais fogueiras. Ter um adulto sempre supervisionando as brincadeiras dos pequenos é muito importante”.

 

Com relação aos adultos, Wandressa diz que é recomendado, principalmente aqueles que trabalham na fabricação dos fogos, só manusear o material com os equipamentos de proteção individual. “O contato constante aumenta a probabilidade de sofrer uma queimadura. Já os usuários dos fogos devem estar equipados com luvas grossas de pano, camisas de manga longa e calças jeans. Em casa, o cuidado também é necessário: utilizar luvas ao manipular líquidos ou comidas quentes”, detalha.

 

Estatística

 

Somente em junho de 2014, a UTQ registrou, 86 atendimentos a vítimas de queimaduras. O número representou 22% a menos em relação ao mesmo período de 2013, quando foram atendidas 110 pessoas. Já o índice de amputações de dedos e membros por queimaduras se manteve o mesmo. Tanto em 2013 quanto em 2014 foram contabilizados oito casos.

 

Em 2013, foram seis crianças vítimas de queimaduras por fogos. Já no ano passado, o número subiu para nove. Isso representa um aumento de aproximadamente 30%.
a e tratamento pela cirurgia plástica.

 

Foto: Ascom/SES

Você pode querer ler também