ARACAJU/SE, 27 de maio de 2024 , 4:16:33

logoajn1

Investimento em biotecnologia reprodutiva garante melhoramento genético em rebanho

 

O rebanho de Sergipe está crescendo em qualidade graças aos investimentos do Governo do Estado em biotecnologia reprodutiva. A ação tem por objetivo o melhoramento genético do rebanho leiteiro e de corte de pequenos produtores, por meio da tecnologia da Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF). A iniciativa faz parte do programa Pecuária Mais Brasil, do Governo Federal, em parceria com o Governo de Sergipe e a Confederação Nacional dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais do Brasil (Conafer).

Para participar do programa, basta o produtor rural interessado se cadastrar em qualquer escritório da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), unidade vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), para passar suas informações pessoais e, também, da sua propriedade. Após isso, um técnico da Emdagro faz a visita na propriedade, indica a raça de touro que vai ser utilizada e informa quando se inicia o protocolo, já com a presença do veterinário da Conafer e todos os insumos necessários para começar o processo.

Desde o início do programa, em 2022, até hoje, 114 produtores já foram atendidos, 918 vacas foram inseminadas e 13 municípios receberam o programa. Entre os municípios estão Boquim, ⁠Riachão do Dantas, ⁠Lagarto, ⁠Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora de Lourdes, Monte Alegre, Itabi, ⁠Amparo, Capela, ⁠Aquidabã, Poço Verde, ⁠Porto da Folha e ⁠Itaporanga d’Ajuda.

A zootecnista da Emdagro, Diana Silva Maynard Garcez, é uma das responsáveis pelo programa em Sergipe e explicou o passo a passo do protocolo. “O primeiro dia a gente chama D0, onde o veterinário faz avaliação ginecológica das vacas que serão inseminadas. Elas precisam estar saudáveis, com escore corporal adequado, sem nenhuma infecção uterina, vermifugadas, têm que estar sem carrapato, vacinadas, saudáveis em geral. Estando aptas, o veterinário coloca um implante de progestorona”, explicou sobre a primeira etapa.

Oito dias após essa preparação, o chamado D8, o veterinário retorna, tira o implante de progesterona e aplica mais hormônios. Já no dia 10 (D10), que acontece entre 44/48 horas após a retirada do implante de progesterona, as vacas estão no cio. “A gente já sincronizou o cio delas com a aplicação dos hormônios, e todas estão neste período ao mesmo tempo. Então, esse é o dia em que acontece a inseminação. O programa é voltado para pequenos produtores rurais, com propriedades de até 50 animais”, completou a zootecnista da Emdagro.

Em toda preparação até chegar a fase final, a Emdagro acompanha o processo. “Nós somos os responsáveis por levar o veterinário que fará a inseminação até as propriedades, selecionamos os produtores, fazemos o cadastro, enviamos toda documentação à Conafer para que seja feito o agendamento e a gente inicie o procedimento”, afirmou Diana.

Aumento da produtividade

O melhoramento genético traz mais produtividade aos beneficiários. De acordo com a zootecnista, no caso dos produtores de leite, a inseminação vai proporcionar um quantitativo maior de leite. Já para os produtores de gado de corte, eles terão um bovino com ganho de peso maior que os animais que não são de touros selecionados. “O programa foi iniciado em Sergipe no ano de 2022. Em 2023 tivemos os nascimentos das inseminações realizadas em 2022, que foram 1.132 bezerros nascidos. Agora, em 2024, nós já estamos começando os nascimentos das inseminações feitas em 2023. Até o momento, nasceram três bezerros de leite no município de Boquim, local onde foi iniciada a inseminação no ano de 2023”, explicou.

A parceria entre o Governo do Estado e a Conafer tem o intuito também de melhorar a vida dos produtores rurais cadastrados. Quem confirma isso é o médico veterinário responsável pelas inseminações, Geimisson Claudino. “A gente consegue não só o melhoramento genético dos animais, mas também, a saúde desses animais. Além disso, o produtor rural lucra em caso de venda do animal, pois terá mais qualidade”, ressaltou.

Beneficiários do programa

O produtor rural Gilvan Santos não escondeu sua felicidade em colher frutos da inseminação feita no ano passado. “É uma benção. A primeira bezerra nasceu esta semana e quando ela estiver na época de produzir leite, teremos o dobro da produção. A nossa meta é triplicar com mais essa inseminação realizada aqui em minha propriedade”, disse, com a expectativa alta.

Além de proporcionar melhoramento genético, o programa Pecuária Mais Brasil garante economia para os pequenos produtores rurais, já que o investimento é federal em parceria com o Governo do Estado. Quem agradeceu a oportunidade foi o pecuarista José Maurício Silva Andrade. “Graças a essa parceria, nós, produtores rurais, temos nosso rebanho melhorado a custo zero. É uma oportunidade de ganharmos renda extra, pois nossa produção irá melhorar e, consequentemente, minha família ganhará mais”, comemorou.

Acompanhando todas as visitas a produtores no município de Boquim, região sul de Sergipe, o chefe do escritório da Emdagro na localidade, Jeotônio Ferreira, afirma que é uma celebração ver o resultado de um trabalho feito em equipe. “Aqui já é fruto de um trabalho que fizemos no ano passado, tem outros animais para nascer. Então, assim, você já percebe que a genética da bezerra que nasceu essa semana já difere da mãe dela. O nosso objetivo é transferir para o pequeno produtor uma melhoria genética para seu rebanho. Estamos trabalhando para que, cada vez mais, outros produtores possam aderir a esse programa e ter também esses benefícios”, disse.

Fonte: Secom

Você pode querer ler também