ARACAJU/SE, 27 de maio de 2024 , 3:12:15

logoajn1

Maternidade Lourdes Nogueira, em Aracaju, celebra primeiro ano de funcionamento e já realizou mais de 3,5 mil partos

 

Há um ano, no dia 17 de abril de 2023, chegava ao mundo a pequena Rhebeca. Ela foi a primeira bebê a nascer na Maternidade Municipal Lourdes Nogueira (MMLN), primeira unidade materno-infantil da rede municipal de saúde de Aracaju, inaugurada pelo prefeito Edvaldo Nogueira três dias antes. A mãe de Rhebeca, a dona de casa Gisandra Ferreira, moradora de Nossa Senhora do Socorro, foi uma das primeiras gestantes a receber o atendimento humanizado prestado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) na MMLN, um serviço altamente qualificado que se tornou a marca da unidade.

Neste primeiro ano de funcionamento, a Maternidade Lourdes Nogueira realizou mais de 3.500 partos, sendo 70% partos normais, conforme preconizado pelo perfil da unidade. Mesmo sendo municipal, a unidade já atendeu pacientes de 80 municípios, sendo 66 de Sergipe, nove da Bahia, quatro de Alagoas e um atendimento a uma parturiente oriunda de São Paulo capital. Aracaju lidera no registro de origem das pacientes, com 72% do total. Destas, 63,17% realizaram parto normal e 36,28%, cesáreas.

“A Maternidade Lourdes Nogueira é um marco para a nossa cidade porque, além de ser a primeira unidade materno-infantil pública do município, possui um olhar diferenciado com relação a quem gesta, como também ao bebê e aos familiares. De fato, é um acolhimento humanizado, que assiste a pessoa em sua integralidade e garante a ela todo o conforto de ter um familiar acompanhando todo o processo. Nesse um ano de atividade da maternidade, temos inúmeros relatos emocionados de pessoas que tiveram suas histórias marcadas pela unidade que tem se tornado referência em Sergipe”, destaca o secretário municipal da Saúde, João Victor Burgos.

Para o gestor, a qualidade do serviço é assegurada, também, pela capacitação continuada proporcionada aos profissionais que atuam na unidade. “Eles trocam informações, conhecimentos e experiências em palestras – tudo isso para tornar o corpo de funcionários cada vez mais preparado e atualizado com relação aos métodos de parto, cuidado e acolhimento. Essa maternidade é fruto de um sonho imaginado há anos, na gestão anterior do prefeito Edvaldo Nogueira, um projeto que foi modernizado, e, hoje, completa um ano de concretizado, num padrão de excelência, como toda pessoa gestante merece ter”, pontua o secretário da Saúde de Aracaju.

O atendimento prestado às gestantes é feito por uma equipe multidisciplinar qualificada, composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, fisioterapeutas, nutricionistas, entre outros profissionais, que garantem o bem-estar das pacientes desde a chegada à maternidade até o momento do parto e pós-parto. Segundo o diretor-técnico da Maternidade Municipal Lourdes Nogueira, Mauro Bezerra, a inauguração dessa unidade materno-infantil representa um marco histórico para Aracaju, que passou a ter uma maternidade-modelo com uma estrutura ímpar e com a ideologia da humanização no atendimento.

“Isso faz com que a gente tenha um grau de satisfação das nossas pacientes acima de 98%, além de ser um ambiente muito interessante para a gente trabalhar, em que os colaboradores realmente percebem o seu valor e o impacto que eles causam na vida das famílias. O balanço que a gente faz desse primeiro ano de funcionamento é bem positivo, e a nossa expectativa é que a gente consiga, cada vez mais, alcançar um grau maior de qualidade”, destaca o diretor.

Humanização do atendmento

Um dos principais diferenciais da Maternidade Lourdes Nogueira é o atendimento humanizado, algo que vai além parto normal, segundo explica o diretor-técnico. A unidade assegura às pacientes atendimento conforme os critérios técnicos e também a individualidade de cada uma. Isso é o que tem despertado o desejo em muitas mulheres, inclusive de outros municípios do estado, de darem à luz na Lourdes Nogueira. De acordo com Mauro Bezerra, 30% das pacientes são de outros municípios, o que reflete o grau de qualidade do serviço prestado na unidade.

“Para além dos partos, os profissionais da Maternidade Lourdes Nogueira realizam uma série de outros procedimentos. Além das consultas de urgência e emergência, lá também são realizados serviços de exames complementares, como ultrassonografia e radiografia, procedimentos cirúrgicos como curetagem e laqueadura nas pacientes que estão internadas e que têm a indicação para tal”, explica o diretor-técnico e obstetra Mauro Bezerra.

Registro de nascimento

No Cartório da Maternidade já foram emitidas mais de 2.300 certidões de nascimento. Entre os serviços de urgência e emergência, já foram realizados mais 12.900 atendimentos com classificação de risco, 41.000 exames laboratoriais e 13.000 testes de triagem neonatal realizados.

Funcionando 24 horas, sete dias por semana, já foram produzidas e servidas mais de 226.000 refeições, que incluem as parturientes, os recém-nascidos (caso seja prescrito), os acompanhantes e os colaboradores da unidade, neste um ano de funcionamento ininterrupto.

A Maternidade Municipal Lourdes Nogueira também obteve a expressiva marca de 98% de aprovação pelas pacientes, a partir das opiniões obtidas num formulário específico preenchido por todas as gestantes e puérperas que passam pelo atendimento. Número inédito e que mostra, de forma inconteste, o impacto da aceitação do modelo assistencial desenvolvido na unidade.

A coordenadora de enfermagem da maternidade, Emmanuelle Moura, trabalha na unidade desde a sua inauguração, e conta que chegou com uma expectativa muito grande. “Como profissional, eu também sempre sonhei com isso que a gente vive hoje aqui. A maternidade mudou a realidade das pacientes, a forma como elas são atendidas e acolhidas. Melhorou o fluxo de outras maternidades também, que conseguem desempenhar um bom atendimento, ter a oportunidade de profissionais atuarem de uma forma muito positiva, como a gente faz aqui, adotando as boas práticas. Para mim, enquanto enfermeira obstétrica, ver colegas atuando, sendo pioneiros nesse projeto, é muito gratificante”, diz.

Ela ainda reforça o maior diferencial da maternidade. “É bom destacar que o parto humanizado é aquele que é seguro, que respeita a paciente, a sua fisiologia, e que é baseado em conhecimento científico. Então, o parto humanizado traz a paciente como protagonista da sua história, traz a família também para junto. Aqui, todas as pacientes têm direito ao acompanhante. A gente incentiva muito isso. É importante o pai da criança acompanhar, perceber que aquela mulher tem uma força incrível. Isso faz com que a família também se fortaleça, faz com que esses ‘aracajuaninhos’ que estão chegando venham em um ambiente de união. A gente vinha com uma expectativa muito grande em relação à maternidade, e acho que a gente está conseguindo até mesmo superar”, declara.

A maternidade tem uma parceria com as doulas, profissionais que oferecem apoio psicológico, conforto e suporte emocional à mulher durante todo o período de gravidez, parto e período pós-parto. A coordenadora lembra que a unidade é porta-aberta para as doulas, que fazem um cadastro prévio e podem ir com a paciente para o momento do parto.

“É a paciente que escolhe a doula que vai acompanhá-la, porque é um vínculo que se cria desde a gestação, e ela é muito bem-vinda aqui. Elas também participam de eventos que a gente promove, seja como palestrantes ou como ouvintes. O papel da doula é dar força para essa mulher que está em trabalho de parto. As doulas representam um apoio emocional para a paciente. O objetivo é o bem-estar da paciente. Então, a gente tem um objetivo em comum e a gente se une para que possamos dar a melhor assistência possível”, explica.

Estrutura

A Maternidade Municipal Lourdes Nogueira ocupa uma área superior a 7,6 mil m² e conta com sala de atendimento; sala de admissão; sala de observação; sala de estabilização; 51 leitos obstétricos (alojamento conjunto); sala de cuidados intermediários para gestantes; dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin); dez leitos de Unidade de Cuidados Intermediários Neonatais  (Ucinco); cinco leitos de Unidade de Cuidados Intermediários Neonatais Canguru (Ucinca); duas salas de centro obstétrico para cirurgia; uma sala para esvaziamento uterino (Amiu); oito quartos PPP Centro de Parto Normal (CPN); Posto de Coleta de Leite Humano (PCLH);  banco de sangue; cartório; serviço social; central de esterilização de material (CME); unidade de nutrição e dietética  lactário; farmácia hospitalar central e necrotério.

“A maternidade funciona em regime de plantão, em que há uma escala completa. Desde a sua inauguração, nós nunca fechamos. Temos uma equipe bem ampla de especialistas para atender à população, como médicos obstetras, pediatras, anestesistas, ginecologistas, infectologistas, cardiologistas, cirurgião geral, profissionais da enfermagem, nutricionistas, psicólogos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, 24 horas por dia, todos os dias na semana”, detalha o médico Mauro Bezerra.

Jaqueline Santos Rocha, de 32 anos, deu à luz à pequena Maria Natyelle na Maternidade Lourdes Nogueira. Em seu sexto parto, ela diz ter ficado muito satisfeita com o atendimento recebido. “Minha experiência aqui na maternidade foi muito boa, gostei bastante do atendimento. Meus outros filhos eu tive em outra maternidade, e aqui foi bem diferente, desde a recepção, quando eu cheguei, até a hora do parto. Os profissionais me trataram muito bem, desde as enfermeiras, os médicos, todo mundo”, conta.

Foto: Marcelle Cristinne

 

 

Você pode querer ler também