ARACAJU/SE, 26 de fevereiro de 2024 , 22:16:03

logoajn1

Greve afeta transporte público, bancos e escolas em Sergipe

Da redação, AJN1

A greve contra a reforma da previdência, além de cortes em verba na educação superior, convocada por centrais sindicais e outras entidades representativas de trabalhadores em todo o país, afetou de forma parcial a região metropolitana de Aracaju, principalmente, o sistema de transporte público.

Segundo informações do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp), apenas 25% dos 40% da frota determinados pela justiça estão em operação.

Os bancos funcionaram de forma parcial; os professores da Universidade Federal de Sergipe suspenderam as aulas; e apenas 10% dos professores das escolas púbicas das redes estadual e municipal estiveram em sala de aula.

Já o comércio da região central da capital funcionou normalmente, sem registro de tumulto.

Bloqueio de rodovias

Nas primeiras horas da manhã, os manifestantes queimaram pneus e bloquearam a BR-101, na altura do km 87 e 23, próximo a Laranjeiras e Malhada dos Bois. Também houve interrupção no tráfego da rodovia SE-175, em Monte Alegre. As Polícias Rodoviária Federal (PRF) e Estadual (BPRV) negociaram a liberação da pista e o trânsito está normalizado.

Passeata

Segundo a Central Única dos Trabalhadores em Sergipe (CUT-SE), os manifestantes estarão concentrados, a partir das 15h, na praça General Valadão. De lá, sairão em passeata pelas ruas do Centro de Aracaju.

Bolsonaro comenta 

Durante um café da manhã com jornalistas hoje, o presidente Jair Bolsonaro foi perguntado sobre a greve. O presidente disse ver o movimento como algo natural. “[Vejo] com muita naturalidade. Quando resolvi me candidatar, sabia que ia passar por isso”, disse.

Sobre reforma da Previdência, alvo das paralisações de hoje, Bolsonaro voltou a defender a importância das mudanças nas regras da aposentadoria, sem as quais os empresários não terão “segurança para investir”.

 

Você pode querer ler também