ARACAJU/SE, 14 de julho de 2024 , 22:29:51

logoajn1

Modelo de embarcação para transporte de passageiros é testado

O transporte coletivo fluvial pode vir a se tornar uma realidade na capital sergipana e grande Aracaju. Na manhã da última sexta-feira, 22, foi testado o modelo de barco que deverá ser utilizado no sistema de mobilidade urbana que o Governo do Estado estuda implantar, fazendo-se uso dos rios do Sal, Sergipe e Poxim. A embarcação, tipo catamarã, com capacidade variável de 130 a 150 pessoas sentadas, fez uma passagem por Sergipe, depois de sair do Rio Grande do Sul com destino ao Pará.

 

O percurso de 15 quilômetros navegado pelo barco saiu pelo rio Sergipe, na altura do ancoradouro do Centro da cidade, próximo aos mercados, até as proximidades da ponte do conjunto João Alves, passando pelo São Braz, pelo rio do Sal em Nossa Senhora do Socorro. O tempo gasto no trajeto foi menor que 20 minutos.

 

 

De acordo com o assessor do Governo, Sérgio Burle, o barco é muito seguro e estável e, quando em operação, o trajeto completo vai ligar os bairros Bugio, Soledade, João Alves, Marcos Freire, São Braz, Porto D’Anta e o centro de Aracaju.

 

“Nós fizemos um teste prático, colocando a embarcação na velocidade operacional, que devemos usar quando a hidrovia tiver funcionando. Do conjunto João Alves até o mercado de Aracaju, vamos gastar em torno de 18 minutos numa velocidade em torno de 50 km/hora. Uma velocidade muito boa. E do São Braz para o mercado, em torno de nove a dez minutos. Esse tempo é muito bom comparado ao que a população gasta com o ônibus, por exemplo”, destaca Burle, ao completar que a execução do sistema hidroviário de transporte de passageiros deverá ser constituída em uma parceria.

 

O arquiteto Murilo Guerra, autor do projeto arquitetônico, ressalta a importância da obra. "O planejamento arquitetônico está praticamente pronto, restando fazer os orçamentos e parte de engenharia. Nós estamos entusiasmados, porque o barco realmente é muito bom, praticamente você não sente que ele está sobre ondas. Estamos finalizando o projeto, fazendo algumas medições para ver qual o barco adequado, seria este modelo, mas com algumas adequações em virtude das pontes daqui serem baixas”, explica.

 

O projeto

 

O governo do Estado é o idealizador do projeto e construirá os terminais de embarque e desembarque de passageiros, os pontos de parada, e fazer uma licitação para fornecer a concessão a algum armador, que traria as embarcações de propriedade dele. Cabe ao governo apenas administrar as tarifas e a ideia é que o usuário pague o mesmo preço que ele paga hoje no ônibus.

 

Ao todo estão previstos 11 pontos de paradas, divididos em duas etapas de implantação – os projetos Norte e Sul. Além do transporte coletivo de passageiros, a ideia é aproveitar também o potencial turístico do passeio sobre as águas.

 

Com informações da ASN

Foto: Marcos Rodrigues

Você pode querer ler também