A pedido da OAB, Sejuc vai ativar parlatórios no Copemcan

O setor de engenharia da secretaria da Justiça e Defesa do Consumidor fará estudos para reabertura dos parlatórios no Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), a fim de atender a uma reivindicação da Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe (OAB/SE). O parlatório é um local específico nas unidades prisionais para os advogados conversarem como os clientes. O Copemcan, maior presídio do Estado, recebe, em média, 10 a 15 advogados por dia.

A pauta foi discutida hoje (8) pela manhã pelo gestor da Sejuc, Cristiano Barreto, o qual visitou o Copemcan com o presidente interino da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Robson Barros, quando percorreram os pavilhões junto com o engenheiro da pasta, Cícero Leonardo Menezes. Ele vai elaborar um relatório sobre as mudanças que precisam ser feitas nos pavilhões, com os respectivos custos, e entregará ao secretário.

Para o secretário Cristiano Barreto, essa interação entre Sejuc e OAB é extremamente importante, pois as duas instituições têm um objetivo comum no quesito segurança pública. “Nós mostramos ao presidente interino da OAB os pavilhões do Copemcan, colhemos sugestões para ativação dos parlatórios e agora vamos ver como iremos ativá-los. Contaremos com a ajuda da OAB e, juntos, faremos o melhor possível para atender aos advogados”, garantiu Cristiano.

Na última sexta, 4, Cristiano recebeu em seu gabinete, o presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade, quando anunciou que, ainda este mês, o Complexo Penitenciário Antônio Jacinto Filho (Compajaf), passará a ter um escâner corporal (body scan) acabando com as revistas vexatórias nas mulheres que são parentes ou esposas dos internos que ali estão à disposição da Justiça.