ARACAJU/SE, 1 de março de 2024 , 18:38:01

logoajn1

PMA promove ação de combate ao trabalho infantil

A Prefeitura de Aracaju realizou nesta quarta-feira (24), uma ação comunitária na feira do conjunto Augusto Franco para promover a reflexão sobre as consequências ocasionadas pelo trabalho infantil. A iniciativa foi desenvolvida pela Secretaria Municipal da Assistência Social, por meio do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Antônio Valença.

Realizada em parceria com o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Maria Pureza, a atividades contou com a participação de membros do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FEPETI). Na oportunidade, foram elaboradas várias ações sociopedagógicas com o intuito de chamar a atenção dos feirantes e consumidores para o tema.

A programação contou com uma peça teatral de fantoches do programa Anjos Azuis, da Guarda Municipal de Aracaju, que envolveu crianças, adolescentes e adultos com um só propósito: enfrentar a exploração da mão de obra infantil.

Para a coordenadora do Cras, Luciana Menezes, esse tipo de mobilização é necessária e contribui de maneira significativa para combater esse mal social. “A gente vem observando crianças trabalhando aqui na feira do Augusto Franco. Então, buscamos articular uma programação com o Creas Maria Pureza, justamente para conversar com a população e mostrar que o lugar da criança ou do adolescente não é trabalhando e, sim, crescendo, aprendendo, brincando. Enquanto Assistência Social, atuamos não apenas na prevenção, mas também no combate. É isso que estamos mostrando e, claro, incentivando que, em caso de trabalho infantil, a denúncia deve ser feita e estamos à disposição para ajudar”, pontuou.

A Lavínia Fernandes, de 12 anos, foi uma das adolescentes participantes da ação. Apesar da pouca idade, ela é bastante consciente sobre os danos que o trabalho infantil pode gerar. “A apresentação é para mostrar que a criança não deve trabalhar, tem que estudar e se divertir. Eu sei o quanto faz mal e os meus pais também. Nunca trabalhei, mas conheço alguns coleguinhas que trabalham. Faço questão de dizer que não pode”, disse.

Você pode querer ler também