ARACAJU/SE, 17 de junho de 2024 , 11:40:49

logoajn1

Proclamação da República no Brasil completa 130 anos

Há 130 anos, o Brasil se tornava uma República Federativa. O novo sistema de governo foi instaurado no dia 15 de novembro de 1889 pelo marechal Deodoro da Fonseca. Na manhã daquele dia, Deodoro da Fonseca saiu de sua casa no centro do Rio, próximo à Central do Brasil, acompanhado por uma tropa de cerca de mil militares – formados principalmente por jovens do Exército – e ocuparam o quartel-general, no Campo de Santana, no centro da cidade do Rio Janeiro, então capital do Império, para proclamar a República.

Chegava ao fim a Monarquia vigente no país desde 1822. O imperador Dom Pedro II soube dos acontecimentos no Palácio Imperial de Petrópolis, e voltou às pressas para corte. Mas não conseguiu impedir o golpe militar. O marechal Deodoro da Fonseca já tinha sido nomeado chefe provisório da República.

Dois dias depois a família imperial deixava o Brasil rumo ao exílio em Portugal. Mas o que teria provocado a queda do Império?

O movimento republicano atraiu jovens e lideranças militares – que insatisfeitos com a Monarquia – externavam publicamente suas opiniões sobre a política interna do país.

Eles não apenas queriam participar do cenário político como também ter melhores condições de salários e prestígio social.

Aos poucos os militares foram se aproximando dos grupos civis que defendiam menos autoritarismo, mais liberdade econômica e mais democracia.

Paralelamente, os grandes fazendeiros produtores de café – extremamente dependentes de mão-de obra escrava – estavam descontentes com a abolição da escravidão, aprovada pela Lei Áurea.

E rapidamente esses líderes do setor cafeeiro também aderiram aos ideiais republicanos.

A conspiração estava formada desembocando no golpe militar que derrubaria a Monarquia.

Em 25 de fevereiro de 1891, o marechal Deodoro da Fonseca foi eleito indiretamente pelo Congresso Nacional e tornou-se presidente e o marechal Floriano Peixoto vice-presidente da República do Brasil.

O país passava a ter então um sistema de governo voltado para o interesse comum de toda a população, em oposição aos interesses particulares de um monarca.

Você pode querer ler também