ARACAJU/SE, 22 de julho de 2024 , 14:03:47

logoajn1

Professores decidem manter greve e ocupação do Palácio dos Depachos

Por Ivo Jeremias

 

Os cerca de 200 professores que ocuparam a recepção do Palácio dos Despachos no final da manhã de ontem,27, permanecem no local por tempo indeterminado. Em colchões espelhados pelo chão, eles passaram a madrugada em vigília, a espera que o governador Jackson Barreto se sensibilize com a situação e receba uma comissão formada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese) para discutir a pauta de reinvindicações da classe.  

 

Os professores estão em greve desde o dia 18 de maio. Eles alegam que o reajuste de 13,01% pedido pela categoria não foi estendido a todo magistério.  Segundo eles, o governo só pagou para os professores que possuem o nível médio. Além desta exigência, eles pedem melhores condições de trabalho, alimentação escolar adequada para os alunos, mais segurança e reformas nas escolas estaduais.

 

Reuniões

 

Ainda na tarde de ontem uma comissão do Sintese chegou a ser recebida pelo vice-governador e secretário-chefe da Casa Civil, Belivaldo Chagas, mas não chegaram a um acordo. Segundo a vice-presidente do Sintese, Ivonete Cruz, Belivaldo se comprometeu a falar com o governador e dar uma resposta à categoria, mas até o início da manhã desta quinta-feira,28, os professores não obtiveram retorno.

 

“Nós estamos aqui desde ontem por volta das 11h da manhã, tivemos uma conversa com o vice-governador Belivaldo Chagas, ele afirmou que entraria em contato com o governador e nos daria um retorno ainda ontem a tarde, mas até o momento não tivemos nenhuma resposta”, disse Ivonete.

 

A vice-presidente do Sintese afirmou que para encerrar a desocupação e a greve, os professores exigem ser recebidos pelo governador Jackson Barreto. E finalizou falando sobre a reposição das aulas perdidas no período de greve.  “Esperamos que o governador receba a comissão e apresente uma proposta de reajuste do piso para que possamos encaminhar o fim da greve e ter o retorno das aulas. A partir de então todas escolas irão reunir os professores para que se faça a redefinição do calendário, que deve se estender além do período previsto que estava programado para terminar”.

 

Governo

 

O diretor de imprensa da Secretária de Estado da Comunicação (Secom), Gilvado Ricardo, explicou que existe uma equipe econômica do governo do estado que é composta pelo vice-governador Belivaldo Chagas, os secretários da Fazenda, Jeferson Passos e Planejamento, Orçamento e Gestão, João Augusto Gama, que é a responsável por discutir este tipo de assunto com as categorias.

 

“Ainda ontem os membros do Sintese foram recebidos pelo vice-governador. A equipe econômica do governo do estado está a disposição para que novas reuniões sejam agendadas para que se possa chegar a um consenso, no entanto, até o momento não foi solicitado outro encontro”, disse Gilvado.

 

Questionado se o governador Jackson Barreto iria receber a comissão do Sintese, Givaldo sinalizou que o encontro desejado pelos professores pode demorar. “Não vou dizer que esta reunião com o governador Jackson Barreto não irá acontecer, mas, no momento, não existe nenhuma previsão para que ele ocorra”.

 

Nova assembleia

 

Na manhã desta quinta-feira,28, às 9h da manhã os professores se reuniram em assembleia realizada numa tenda montada por eles em frente ao Palácio dos Despachos. Na ocasião, eles decidiram que a greve e a ocupação irão continuar. De acordo com a assessora de comunicação do Sintese, Caroline Santos, na próxima terça-feira,2, será feita uma nova assembleia para discutir os próximos passos do movimento. 

Você pode querer ler também