Sergipe perde João Alves Filho, um grande homem público, que muito contribuiu para o desenvolvimento do estado. Saiba mais

Rap sergipano movimenta o ‘Ocupe a Praça’

 

O ‘Ocupe a Praça’ realizado na noite desta quarta-feira (2), foi no clima do rap. O evento cultural, realizado pela Prefeitura Municipal de Aracaju e pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju – Funcaju, através do Núcleo de Produção Digital, teve como tema desta edição a resistência do rap sergipano e contou com clipes e shows de artistas locais. A noite iniciou na sala de exibição do Centro Cultural com a mostra de clipes dos artistas produzidos por profissionais do estado.

“A proposta do Ocupe é abrir a praça para todos os tipos de arte e hoje foi a vez do rap. O pessoal teve a oportunidade de mostrar o trabalho com videoclipes e apresentações que possuem pouco espaço na mídia. Estamos cumprindo o nosso papel de jogar luz nas diversas formas de cultura”, afirmou o presidente da Funcaju, Silvio Santos.

Um dos clipes exibidos foi o Monolírico do rapper Darthayan, que foi produzido pelo realizador e estudante de audiovisual Lucas Vieira. O clipe participou de festivais como o Sercine e o Curta-SE e possui mais de oito mil visualizações no Youtube.

“É muito bom poder participar de um evento como o Ocupe a Praça e estar exibindo o nosso trabalho em uma sala de cinema mais uma vez. Poder debater sobre o rap sergipano também é bastante importante e eventos como este agregam cada vez mais para a cena cultural em Aracaju”, destacou Lucas Vieira.

“Hoje em dia a produção audiovisual é muito importante para o artista e produzir clipes com bons profissionais é fundamental para divulgar bem o seu trabalho. Além de compartilhar nas redes sociais para o mundo todo acompanhar e compartilhar”, explicou o rapper Darthayan.

Após a mostra, foi a vez das apresentações de rap tomarem conta da praça General Valadão. Darthayan, MKM, Guerrilheiras do Rap e Família Bocasecas deram o tom da noite em mais uma edição do Ocupe a Praça.

“O nosso coletivo das guerrilheiras mostra que o rap em Sergipe não é feito só por homem. As mulheres também tem o seu espaço. Temos muitos grupos femininos que seguem construindo e evoluindo muito. A Prefeitura e a Funcaju trazerem para a cena um estilo musical que é marginalizado, é muito importante para termos uma maior visibilidade”, disse a rapper Raissa Sampaio.

O Ocupe a Praça acontece sempre na primeira e na última quarta-feira de cada mês e vem se destacando na cena cultural aracajuana como mais uma alternativa para o público atingindo diversos meios e coletivos culturais. No Ocupe, o público pode conferir mostras e trabalhos audiovisuais, apreciar bons shows e apresentações e prestigiar os food trucks que comparecem nos dias dos eventos.

“Hoje tivemos casa cheia mais uma vez e isso nos deixa muito feliz. Em cada evento dialogamos com públicos diferentes e eles conhecem a proposta do evento. Clipes fantásticos foram exibidos e os shows na praça, que ficou linda com o público”, comemora a diretora do Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira, Carolina Westrup.

Fonte: Ascom Funcaju